Publicação em destaque

Algumas considerações sobre a visualização espontânea de auras

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Pyro e as flores


O dia não estava a começar bem para Pyro. De madrugada a trovoada tinha desfeito os fios de luz que ele, com tanto trabalho, fez no dia anterior. Abanava a pequena cabeça, refletindo que tinha de voltar a ligar as flores aos raios de sol.

Enquanto assim pensava, olhando desconsolado para todo o Vale de Ló, no sopé da montanha da Cumieira, viu algo que lhe arrepiou os caracóis fulvos… Ao longe, lá muito ao longe, viu um grupo de meninos e meninas que subiam a estrada.

As flores seriam arrancadas e nada valia a pena então…

Escondeu-se na orla da floresta e observou. Infelizmente tinha razão, as meninas já tinham começado a colher as belas flores e os meninos corriam atrás uns dos outros pisando-as.

Uma das meninas chegou perto de Pyro e debruçou-se para uma flor estendendo a sua mãozinha… Pyro voou perto da cara dela assustando-a. Mas, como era uma menina valente perguntou: - Quem és tu?

A menina viu a luz de Pyro e ele soube… Pelo artigo 347 do Código dos Duendes, Fadas e Elfos tinha de se mostrar.

E foi com uma melena ruiva caída para o olho direito, apenas mostrando um olhinho brilhante cor de fogo-esverdeado, os braços cruzados no peito- em jeito ameaçador-, tremendo com um pé sobre um galhinho de feto, que esta criaturinha se mostrou, o tamanho de um palmo de mão…

A menina olhou espantada e abriu a pequena boca que tapou com a mãozinha.

-Sou Pyro e trato das flores. – respondeu com um sorriso torcido.

A menina estava cada vez mais espantada… Apresentou-se e perguntou-lhe o mais óbvio:

- Mais alguém te vê? – Pyro respondeu que se calhar não… Talvez ela o visse porque não arrancava flores nem maltratava os caracóis, pensou ele e, foi o que lhe disse.

- Mas os meninos que arrancam as flores e as pisam não sabem o mal que fazem! – disse Pyro com calor, empinando o seu narizinho arrebitado e tremendo-lhe as orelhinhas afiladas com alguma irritação.

A menina perguntou: - Como posso ajudar? Eu sei que não se deve arrancar flores, nem maltratar os pequenos insectos, nem nenhum animal. Os meus pais ensinaram-me e eu sempre fiz assim.

- Todas as vidas pertencem à Grande Vida e devem ser respeitadas. – Pyro refletia que o seu pai deveria ser o carvalho onde vivia, só se lembrava de aparecer um dia debaixo da sua copa e começar a dança da Luz com os seus irmãos, os elementais do fogo. E a mãe deveria ser a terra debaixo dos seus pés… Talvez fosse assim e foi isto que explicou à menina que o ouvia com atenção.

A menina entretanto tinha tido uma ideia. Reuniu os outros meninos e contou-lhes tudo isto. E foi assim que, no prado de Ló, se acabou com a colheita das flores. Futuramente os filhos desses meninos e meninas seguiram os carreiros e evitaram pisar flores e pequenos seres... E Pyro brincou com eles até ser bem velhinho e voltar para a Grande Vida.


Paz e Amor
Curadora64

Copyright © Curadora64  All Rights Reserved. You may copy and redistribute this material so long as you do not alter it in any way, the content remains complete, and you include this copyright notice link:

2 comentários:

Argelita Ferreira disse...

Confesso que nunca gostei de pisar a relva nem flores. 😁

Curadora64 disse...

:) <3

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

copyscape

Protected by Copyscape

DUAS TÉCNICAS DE MEDITAÇÕES PASSIVAS - OSHO

Qigong

Sobre o Amor

Adam Kadmon

Meridianos MTC

Kundalini

viagem astral

Toroide - Energia Livre

Formas de Pensamento

A Grande Invocação

Aura - o que é?

Controlo da Mente

Vida ET


"Se não existe vida fora da Terra, então o universo é um grande desperdício de espaço."- Carl Sagan
Posted by Auras, Cores e Números on Sábado, 29 de agosto de 2015

Chakras

Deva Premal - playlist

Daiqing Tana - OM MANI PADME HUM