Colecção Auras G+

Colecção Auras G+
Posts por temas

Publicação em destaque

Transformando emoções em sentimentos

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Pirâmides estão emitindo raios de luz em direção ao espaço

 

 

QUEM ‘ATIVOU’ AS PIRÂMIDES DO PLANETA?

Pirâmides são as construções mais enigmáticas do nosso planeta. Ninguém discute que o sentido desses edifícios de culto vai além de túmulos. Por que, parece, elas agora estão sendo “ativadas”?
Sim, esta é a notícia polêmica: cientistas registraram radiações de luz intensa que emanam a partir exatamente do topo das pirâmides em direção ao espaço. E o fenômeno ocorre por toda a parte.
 
       
 
A resposta a essa pergunta não é simples, porque nós, até agora, pouco sabemos sobre a verdadeira natureza das pirâmides.
Muitos cientistas convergem na ideia de que essas construções são os mais antigos recetores e transmissores de informação. E, nos últimos tempos, essas hipóteses teimam em querer se confirmar…
Mas o que poderá existir de comum entre a pirâmide de Kukulcán, situada na península de Iucatão, no México, as do Vale de Xianyang, na China, e as pirâmides da cultura Norte Chico, nos Andes?
Trata-se de templos edificados mais ou menos ao mesmo tempo que as pirâmides egípcias de Gizé, que, recentemente, começaram a revelar uma atividade nunca vista.
 
COLUNAS DE LUZ
 
Muitas pessoas tornaram-se testemunhas de como essas pirâmides lançam uma potente coluna de luz para o céu. Há também fotos e vídeos que confirmam esse fenômeno incomum.
Antes que os céticos (ou medrosos) se manifestem, deve-se frisar que os materiais fornecidos aos cientistas não foram montados e que não há dúvidas de que são autênticos.
 
       
 
O astrofísico russo Anton Ermolenko, diante do que viu, já está convencido que os acontecimentos ocorridos devem ser submetidos a um minucioso estudo:
“A comunidade científica mundial deve indubitavelmente prestar mais atenção ao que se passa com as pirâmides. O fato de elas começarem a acordar do sono milenar é, por si só, um fenômeno único. Não devemos ignorar fatos evidentes, mas tentar definir por que é que ocorrem atualmente”.
 
FENÓMENO COORDENADO
 
E o cientista tem toda a razão, pois não se trata de um caso único, mas de um fenômeno de massas que se observa da Ásia até a América Latina.
O principal aspeto que tanto interessa aos estudiosos, como às pessoas comuns, consiste em saber qual a causa dessas radiações de luz e para onde são dirigidas.
É evidente que é difícil considerar uma coincidência banal quando tudo acontece de forma coordenada. Por isso, é preciso tempo e dinheiro para investigar tais anomalias.
Quem sabe, finalmente, não estaríamos a poucos passos da descoberta dos grandes mistérios das pirâmides?
 
Enviado por em 26 de janeiro de 2014 – 21:36

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Os Efeitos e Usos da Rede Cristalina Planetária Potenciada Por Adama

 
 

A rede de cristal - ou a corrente vital de cristal, como também é conhecida – é constituída essencialmente por duas partes, uma física e outra etérica. Os principais usos da rede estão relacionados com a amplificação de energia (no plano físico) e com a armazenagem e transmissão de informação (no plano etérico).
A rede é um canal direto para que a consciência humana aceda e disfrute da perceção plena das dimensões terrestres inferiores. A consciência humana, ou corrente mental, é na verdade a terceira rede que se ajustará durante a ascensão do planeta Terra.
A rede de cristal tem estado sempre colocada no interior e à volta do planeta Terra.

O que se tem experimentado recentemente é uma expansão dos efeitos da rede no ADN, tanto no do planeta como no vosso. Trata-se de um resultado direto da ascensão das energias da rede de cristal a uma vibração mais elevada e pura.
O que vocês estão a experimentar ao interagirem com a rede de cristal no processo de ascensão é o mesmo que o próprio planeta está a ser submetido.
Através desta interação com o processo do planeta, o vosso corpo físico também se está a reestruturar. A vossa própria estrutura cristalina está a ascender mediante os ajustes do vosso ADN. E os mesmos ajustes dão-se, bem amados, desde que aumentem e mantenham o vosso nível de amor e luz, todos os dias, através das energias do coração.

Porque é que está a acontecer isto? Isto acontece porque agora já está na altura da humanidade e a Terra, avançarem para passarem a um nível de existência muito mais elevado. Acontece também porque isto foi o escolhido pelo vosso Eu Superior.
Vocês chegaram à conclusão que já tinham estado bastante tempo separados e solicitaram a ajuda necessária para provocarem a mudança no vosso interior e no vosso planeta.
Durante os últimos vinte anos da Terra, realizaram-se medições sobre a vontade e o desejo de todos vocês saírem das energias em que viveram tanto tempo – energias mais densas -, e as redes foram recalibradas para vosso benefício. Em primeiro lugar ajustou-se a rede magnética, ou seja, a corrente vital geomagnética do planeta. Isto permitiu uma maior conexão com os reinos etéricos, assim como a dissolução de uma grande parte do véu da dualidade e da falsa ilusão.

Depois, a rede de cristal elevou-se a uma vibração superior e muitos de vocês foram chamados a trabalharem mais ativamente com estas energias. Todos estão a experimentar a mudança vibratória da rede, quer estejam conscientes disso ou não.
A vossa própria frequência de vibração está a adaptar-se à da rede e, deste modo, agora todo o planeta está plenamente envolvido no processo de ascensão.

Para interagirem com a rede de um modo mais consciente, devem adquirir uma compreensão plena dos usos da mesma. E devem de realizar o compromisso, no interior do vosso coração, de aceder à rede unicamente do modo apropriado e apenas para o bem comum. Em tempos passados, quando a rede era observada à vista desarmada, na era da Atlântida, frequentemente acedia-se com fins corruptos.
Mas as lições aprendidas e a experiência adquirida foram muito valiosas e por isso têm de compreender que não se permitirá que tal coisa volte a acontecer.
Aqueles que o tentarem fazer, vão ser confrontados com um retorno muito rápido das suas próprias energias - e intenções – viradas contra si próprios, assim como com as suas consequências kármicas dos seus dúbios objetivos.

Durante muitos anos, desde a caída tanto da Atlântida como da Lemúria, a rede de cristal etérica manteve-se mais afastada da atmosfera do planeta. Esta medida foi tomada para se proteger a rede de possíveis maus usos e da corrupção da sua matriz. Permitiu-se que o planeta e a humanidade vivessem sem a sua influência etérica direta durante muitíssimo tempo, e isto diminuiu em grande parte, as vossas faculdades espirituais naturais, a que vocês chamam de dons espirituais.
Isto também fez com que vivessem com 5 a 10% do vosso pleno potencial – e por vezes menos – em comparação com os 100% que uma vez disfrutaram e que agora estão a reclamar e da qual sentem falta.
Este curso de ação foi adotado porque no interior da mente de Deus se reconheceu e se traduziu através da hierarquia espiritual, que era muito provável que os erros da Atlântida se voltassem a repetir. E estou seguro que vocês  sabem que, se os deixassem, existem ainda pessoas encarnadas neste momento a quem agradaria muito recriar um panorama semelhante.
Felizmente agora existem em número menor que antes e brevemente devem transformar-se e abraçarem a sua divindade, ou partirem para continuarem a sua evolução noutro lugar.

Nós não compreendemos a queda da Atlântida e da Lemúria naquele momento: necessitamos de entender e experimentar a totalidade dos motivos porque isso aconteceu e a sabedoria ou a lição obtida.
Não desejamos nem culpar nem castigar ninguém pelos acontecimentos da Atlântida. Na verdade todos quantos residiam ali, como parte daquela grande experiência, fizeram-no por sua própria vontade. Nós os honramos pelo papel que desempenharam em aumentar a nossa compreensão de todos os aspetos do Espírito. Mas o extremo mau uso das energias que ameaçaram a vida do próprio planeta, obrigou o Criador a pôr fim à evolução daquela civilização prematuramente.
Não se permitiu que as lições se chegassem a completar.

Depois da queda da Atlântida, afastamos a rede de cristal etérica. Esta desconexão criou o meio propício para novas lições humanas e para os acontecimentos da vossa história que daí resultaram. Escolheu-se, criou-se e aprendeu-se muita experiência que jamais teria tido lugar na atmosfera – de maior pureza – da rede.
Em última análise chegamos a compreender a queda da Atlântida, assim como a totalidade da experiência e da expressão humana através do livre arbítrio. E hoje, mais uma vez, encontramo-nos com um mundo à beira da autodestruição, ainda que talvez não de forma tão violenta nem cataclísmica como da última vez.
Agora o panorama parece-se mais com uma lenta e dolorosa enfermidade autoimune, na qual o organismo se corrói a si mesmo.

Assim, caros amigos, agora encontramo-nos, uma vez mais, todos conectados à rede, tanto no vosso reino como no nosso. Todos nós nos achamos envolvidos num processo que finalmente conduzirá à reabertura do coração de Lemúria. As lições de desconexão em relação a Deus, foram aprendidas e reaprendidas, exploradas e examinadas a partir de todos os ângulos. Já extraímos disto todo o conhecimento que pudemos e chegou a hora de avançar.

No decorrer dos registos da vossa história e arte, a criação foi mostrada como a chispa divina que se inflamou até tomar forma. Trata-se de uma bela e poderosa imagem portadora de plena majestade e graça Divina. Inspira pureza de emoção a quem a visualizar, mas as propriedades plenas de manifestação implicam mais do que simplesmente a inspiração. Não se pode criar no plano físico sem o processo físico da cristalização.

Os cristais e o processo mediante o qual se forma um cristal físico, unificam tanto os aspetos superiores como os inferiores do Divino. Representa nesse momento de começo, uma união entre o Divino e os elementais que residem na Terra. Representa também um extravasar de informação, na medida em que cada cristal representa um armazém de energias e experiências concretas.

Muitos de vocês tiveram uma ou várias vidas em formas cristalinas puras. Mais tarde, muitos de vocês imbuíram noutros cristais os aspetos do vosso Eu Maior, para a edificação e educação de outros que vieram mais tarde. Muitos de vocês imbuíram cristais, também, com o aspeto do vosso Eu para poderem, vocês mesmos, reunirem-se posteriormente com eles através do canal de cristal.

Se bem que o Espírito que reside no interior de um cristal, possa não parecer tão atrativo como o vosso, é de facto tão ativo – senão mesmo mais expansivo – quando é ativado diretamente por um Espírito voluntarioso em forma humana.
A frequência de vibração aparentemente mais lenta de alguns cristais é na realidade uma função que estes Espíritos têm desempenhado, durante muitos anos de serviço paciente, frequentemente arreigados numa mesma forma física durante milhares de anos. Temos para com eles uma grande dívida pela sua boa disposição em permanecerem no seu lugar, ancorando as suas energias, até que chegue o momento de serem libertados de novo na matriz do cristal maior.

Pois ao aproximar a rede de cristal etérico, uma vez mais ao serviço do planeta, esta despertou – e reuniu de novo – todos os guardiões das nossas energias que residem na forma de cristal físico.
E uma vez mais, a rede de cristal físico foi reativada com a vontade do Divino.
Através desta rede física deu-se início ao processo completo de ascensão da própria Terra, o qual prosseguirá até que a vibração do planeta alcance uma mudança dimensional e se volte a reunir com os aspetos superiores de si própria. A consciência humana alcançará um novo e maior nível.

Neste momento, os que empreenderam esta viagem com a Terra, começarão a encarnar de novo os vossos aspetos superiores e a reuni-los de novo convosco. Com efeito, nós somos estes aspetos superiores. E de facto hoje muitos cristais estão a ascender a formas de serviço superiores.

Esta nova consciência humana crescerá através de uma informação e compreensão superiores, que os cristais efetivamente, transmitem de bom grado quando se lhes pede. No entanto, a consciência maior chegará mediante a abertura do coração, pois é neste que reside a alma.
E a alma não julga as experiências que tem acumulado. Não pesa trauma contra o prazer, nem serviço contra ganância. Meramente, aceita todos os aspetos do Eu como valiosos e necessários para o Todo.

Encontra no espelho da rede de cristal, tanto física como etérica, a mais elevada representação do que deseja viver, em forma humana, neste planeta. Pois este é também um especto importante da rede: que unifica todas as energias num só fluxo e amplifica a força vital de todo aquele que a compreende; que conecta todas as energias de pensamento e coração, e quando vocês acedem a ela, como fazem as vossas “crianças de cristal”, convertem-se imediatamente em parte do Todo.

Através da rede chegam ao interior do coração e da mente de todos os que estão conectados com ela. Podem receber as respostas a todos as perguntas formuladas, assim como, as energias de cura e manifestação necessárias par qualquer esforço e serviço que possam querer iniciar, Tocam nos aspetos superiores do Eu e também em todos os demais. E amplificam a vossa própria essência Divina, tanto no vosso reino como em todos os demais.

O uso adequado de rede é essencial, e a intuição adequada para o seu uso é obrigatória.
Nós estamos aqui pata trabalharmos com cada um de vocês, individualmente, nas formas apropriadas de aceder a ambas as redes. Não vos podemos proporcionar técnicas genéricas para isto. Cada um tem o seu próprio lugar único nesta rede e o mesmo método não funcionará para todos nem promoverá a maior consciência.
Muitos de vocês já trabalharam anteriormente com a rede e descobrirão que lhes é familiar e natural. Para outros será muito mais difícil começar a conectarem-se com cristais físicos concretos que já têm nas vossas casas ou nas imediações à espera que os descubram.
Cada um de vocês está a experimentar agora a reestruturação do vosso ADN para converter numa forma cristalina mais pura. Estão a experimentar mudanças e realinhamentos físicos emocionais e mentais. Estes podem parecer estranhos, dolorosos e incómodos para o vosso sistema.
Tudo isto não é mais do que a resistência que se opõe à mudança. Estabeleçam a intenção de que todas as mudanças sejam para o vosso bem maior e assim vocês eliminam grande parte da resistência. E interajam ativamente com os cristais na cura de traumas passados e na libertação de energias tóxicas.

Conectem-se connosco através de um cristal ou simplesmente a partir da vossa mente, pedindo instruções sobre a rede de cristal. Depois, entrem em conexão com esta e peçam instruções. Compartilhem com outros aquilo que descubram, pois cada um tem um pedacinho dessa nova consciência.

Bendizemos-vos, amamos-vos e levamos-vos sempre nos nossos corações.
Procurem-nos na vossa consciência, pois nós também somos vocês.
 

 
 
                             


Fonte: Excerto de Telos III de Aurelia Louise Jones - "Protocolos da 5ª Dimensão", capitulo IX

Traduzido por Curadora 64 

Copyright © Curadora64 All Rights Reserved. You may copy and redistribute this material so long as you do not alter it in any way, the content remains complete, and you include this copyright notice link:

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

5D Crystals Can Store Data Virtually Forever, Scientists Say

                          

Researchers at the University of Southampton have recently announced that they are able to store and retrieve huge amounts of five dimensional data on quartz crystals.

The technology has immediately received a cool nickname: the "Superman memory crystal" - after the "memory crystals" used as storing devices in the Superman films.


I. How does it work?

“…the data is recorded via self-assembled nanostructures created in fused quartz, which is able to store vast quantities of data for over a million years,” explains a press release. “The information encoding is realized in five dimensions: the size and orientation in addition to the three dimensional position of these nanostructures.” [1]

That sounds complicated, but what it basically means is that, using ultra-fast lasers, we can now encode a piece of quartz with 5D information in the form of nanostructured dots separated by only one millionth of a meter.

The self-assembled nanostructures change the way light travels through glass, modifying polarization of light that can then be read by combination of optical microscope and a polarizer, similar to that found in Polaroid sunglasses,” states the release. [2]
The storage allows unprecedented parameters including 360 TB/disc data capacity, thermal stability up to 1000°C and practically unlimited lifetime.

"We are developing a very stable and safe form of portable memory using glass, which could be highly useful for organisations with big archives. At the moment companies have to back up their archives every five to ten years because hard-drive memory has a relatively short lifespan. (...) Museums who want to preserve information or places like the national archives where they have huge numbers of documents, would really benefit," stated the ORC leading researcher, Jingyu Zhang. [2]


II. In case of mankind's extinction, the 5D memory crystals will "survive" to tell our story

The team's supervisor, Professor Peter Kazansky, explained:
"It is thrilling to think that we have created the first document which will likely survive the human race. This technology can secure the last evidence of civilisation: all we've learnt will not be forgotten." [3]

It's interesting that preserving mankind's history is considered by scientists to be the most important thing we can achieve with this technology.

If others before us discovered this technology, then it is very probable that they have reached to the same conclusions.

Back in 2010 I wrote about David, a child who allegedly incarnated on Earth from a planet called Inua. He explained that all of the evolved extraterrestrial species store data on crystals for aeons - including their history.

In conclusion, if we are to look for solid evidence about the existence of lost ancient civilizations (e.g. Lemurians, Atlanteans, ET visitors), then we should also consider looking for "memory crystals".

If we are to leave our history recorded for posterity - just in case our species doesn't make by the end of the century - then a disc-shaped (or icicle-shaped, as depicted in Superman) crystal may not be the best shape for such an important library.

No! The crystal needs to be solid enough not to shatter with ease, beautiful enough for others to preserve it, and awe-inspiring so that it is treated with respect... maybe even feared.

Why? Because the ones who find it, may not be able to read its message, so it needs to survive in one piece until someone figures out what it is and/or has the technology to decode the encrypted message.

And just one crystal may not be enough... so the more we make, the better.

It should be crystal-clear (pun intended) by now that I am making a reference to something. Do you know what I am talking about?

I am, of course, talking about the famous ancient crystal skulls. And there are - at least - about a dozen of original crystal skulls in private and public collections.


III. The Mysterious Ancient Crystal Skulls of Mesoamerica
These mysterious crystal skulls reunite all the needed features (solid, beautiful, numerous and awe inspiring) for them to survive long enough for their possible message to be decoded by an advanced species.

According to National Geographic,
"Some are crystal clear, others of smoky or colored quartz. Some are actual human size and of very fine detail, while others are smaller and less refined. All are believed to originate from Mexico and Central America.

Many believe these skulls were carved thousands or even tens of thousands of years ago by an ancient Mesoamerican civilization. Others think they may be relics from the legendary island of Atlantis or proof that extraterrestrials visited the Aztec sometime before the Spanish conquest." [4]

Unfortunately, according to the same source cited above, the British Museum and the Smithsonian Institution declared their original skulls to be fake:

"Recent electron microscope analyses of skulls by the British Museum and the Smithsonian Institution revealed markings that could only have been made with modern carving implements."

Firstly, the original skulls could have been easily replaced with fakes by now. Those who control the world have access anywhere they desire.

Secondly, just because the skulls have modern-looking carving marks on them is not evidence that the skulls are fake. There are plenty of monuments drilled, carved and stacked together so perfectly that it would be challenging to replicate even today (e.g
Puma Punku, or the Great Pyramids of Egypt

- just to name a couple of sites).

Interesting times await us just around the corner, so - who knows?! - maybe one day, soon, I will be able to report to you that an ancient crystal skull has been discovered to contain the real history of our planet and its inhabitants.
Sources: 
[1] Inhabitat 
[2] Eureka Alert 
[3] Dvice 
 

domingo, 26 de janeiro de 2014

A REDE ENERGÉTICA UNIVERSAL

    Página sobre funções Wigner Cat de computador quântico, em página da Universidade de Stanford
                                Fonte da imagem 

A respeito deste tópico, os “credos” da Nova Era e os estudos científicos confundem-se, a ponto de estes últimos serem considerados, pelo cidadão comum, que pouco percebe de astrofísica, como uma espécie de ficção cientifica. 
Desde os anos sessenta do século passado que uma nova teoria, a Teoria das cordas – que posteriormente daria origem à teoria das malhas ou Teoria M – foi sendo desenvolvida para explicar TODO o Multiverso e fazer a unificação das forças nucleares fracas e fortes, do eletromagnetismo e da gravidade.

                   Ficheiro:Calabi-Yau.png
                                    Fonte da imagem
A mudança de consciência necessária para esse efeito foi crucial e ao mesmo tempo as mudanças provocadas com a divulgação destes trabalhos, na mente Humana universal foram drásticas. Veja-se que muitos milhões de pessoas no mundo conhecem a celebre correspondência entre massa (matéria) e energia e reconhecem como seu, o conceito de que tudo é energia. 

Pois estes jovens cientistas, nos idos anos 60, achavam que, por analogia, se podia pensar que as manifestações físicas do nosso universo 3D se podia resumir à vibração de uma única corda de violino. 

A verdade é que a busca de uma Teoria de Tudo que seja capaz de explicar todos os fenómenos do nosso universo foi perseguida por grandes cientistas como Einstein sem sucesso prático, isto é sem comprovação experimental.
 


                                  Fonte da imagem

Atualmente, a mais forte candidata ao título de vencedora, para explicar o Universo de uma maneira simples e unificadora, é a Teoria M, cuja resolução matemática obriga a 11 dimensões com 3 espaciais + 1 temporal e 7 encapsuladas num espaço diminuto (o tamanho de um átomo).
Desde 1921 que as primeiras deduções matemáticas de uma teoria de Tudo desenvolvidas por Kaluza funcionam com 5 dimensões. 

Outras teorias mais tardias, como a de Rambu, apontam para 26 dimensões. 

Um dos objetivos do LHC do CERN é tentar explicar a origem da massa das partículas elementares e encontrar outras dimensões do espaço, entre outras coisas. Uma dessas experiências envolve a partícula bosão de Higgs. Caso a teoria dos campos de Higgs esteja correta, ela seria descoberta pelo LHC. Procura-se também a existência da supersimetria. 

Os bosões W e Z mais comumente observáveis têm a massa de aproximadamente de 100 GeV/c2, enquanto os fotões, que comportam a força eletromagnética, não têm massa. A altas energias os bosões W e Z podem criar massa facilmente e a natureza unificada das forças aparece. Espera-se que a grande unificação trabalhe num caminho similar, mas as energias na ordem de 1016 GeV ou muito maiores não podem ser obtidas por nenhum acelerador de partículas na terra. Por analogia, espera-se que a unificação das forças GUT com a gravidade seja a uma energia de Planck, em torno de 1019 GeV. 

A Humanidade não tem atualmente tecnologia para observar as cordas (que se acredita terem aproximadamente o comprimento de Planck, em torno de 10−35 m). Em algum momento poderemos ser capazes de observar as cordas de uma forma significativa, ou ao menos obter uma perceção mais substancial pela observação de fenómenos cosmológicos que elucidem a física das cordas. 

Para se fazer uma ideia do avanço da nossa tecnologia de ponta comum como a nanotecnologia (inicialmente como o nome indica seriam comprimentos de onda da ordem dos 10−9 metros) estão agora à volta de 10−18 m e as energias com que somos capaz de lidar no LHC são de energia de 7 TeV por partícula. O que equivale a uma velocidade de 99,999999% da velocidade da luz (C = 3 x10 8 m/s).  
Isto por si só faz pensar que para energias superiores típicas de dimensões superiores como a 5 dimensão por exemplo exigem uma velocidade da luz superior à nossa local num universo 3D. O cientista de origem Alentejana, João Magueijo propôs a teoria da velocidade da Luz variável para explicar as similaridades de pontos muito distantes no universo, ou seja o problema do horizonte.  

O Bosão de Higgs, ou a partícula de Deus, medida em março de 2013 no LHC do CERN de Genebra, Suíça, valeu a atribuição do prêmio Nobel de Física ao belga François Englert e ao britânico Peter Higgs em Outubro do mesmo ano, prova que a cola que une as dimensões e que cria a matéria existe mesmo.
                    Ficheiro:CMS Higgs-event.jpg
                                   Fonte da imagem
Outra coisa muito interessante que tenho observado como fã “simultânea” da nanotecnologia e da cosmologia, ou seja, o muito pequeno e o muito grande, é que as formas cilíndricas, ou tubos, são cruciais e standard na transmissão de energia tanto no macro como no microcosmos.
                          

                    Ficheiro:Kohlenstoffnanoroehre Animation.gif
                                       Fonte  da imagem 

Veja-se os nanotubos de carbono grafeno, que além de terem inúmeras aplicações diferentes – entre outras os de despoluentes de centrais nucleares como Fukushima, deram origem aos FET utilizados nas redes neurais computacionais. 

Já sei, estão a perguntarem-se a si mesmos: - O que é que isto tudo tem a ver com a rede energética universal? 

-Tudo! – a rede energética universal está inserida a nível subatómico dizem os cientistas mas engloba grandezas astronómicas como a gravidade entre planetas e buracos negros e em forma geométrica é constituída por um entrelaçado, eu diria emaranhado de linhas com a "dimensão e geometria" adequada à dimensão a que pertencem… :)) 

Por exemplo, na nossa dimensão são formadas por tubos tridimensionais que formam malhas tridimensionais ligadas por “nodos” também tridimensionais.




Há muito que os iniciados sabem extrair energia desses “nodos”, usando-a para diversos fins. 

"Em cada cultura e em cada tradição da medicina antiga, anterior à nossa, a cura é sempre efetuada ao movermos a energia - Albert Szent Györgyi - prémio Nobel da Medicina de 1937 "

Recentemente astrónomos conseguiram fotografar o que eles chamam de Teia Cósmica: 

                                 Fonte da imagem

O que é “engraçado” é que captaram esta imagem perto de um buraco negro que é uma porta para outros universos, outras dimensões. 

Os cientistas já conseguem medir o Universo, discutem ainda se este é plano ou curvo e o seu ritmo de expansão mas concordam que o Universo é infinito… 

Então,  se isto é numa dimensão 3D, em que quase todo o Universo é formado por filamentos de “matéria escura”, o que se passa noutras dimensões?

 
                                                            Fonte da imagem
Na 5D é provável que a geometria siga o hipercubo e a teia ou rede esteja dentro de uma outra estrutura. 

Uma representação antiga e muito divulgada nos crop- circles é a flor da vida, a esfera de todas as manifestações Divinas:

       
                             Fonte da imagem

E as manifestações divinas funcionam assim: as dimensões mais elevadas, de maior energia, influenciam as de menor energia. O contrário nunca acontece…:))


Paz e Amor
Curadora 64


Copyright © Curadora64 All Rights Reserved. You may copy and redistribute this material so long as you do not alter it in any way, the content remains complete, and you include this copyright notice link:


quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Açores e a Atlântida

Introdução por Curadora 64:
 
Há muito tempo que os portugueses pensam que os picos das montanhas, parcialmente submersas que formam o arquipélago dos Açores são parte da Atlântida que sobrou. Tudo isto já foi mais que verificado pelos canais competentes desde o advento dos satélites artificiais. Se a revelação lhes convém ou não é outra história. Nós achamos que são coincidências a mais e a Natureza tem mais formas redondas do que piramidais e ainda por cima alinhadas com o complexo de Gizé...
 
 
 
Teoria da Atlântida no Arquipélago dos Açores (2013)
A blogger Olinda P. Gil no alvor-silves.blogspot em 24 de Setembro de 2013 informa que:


Foi descoberta uma pirâmide submersa com 60 metros de altura e 8 mil metros quadrados de base entre a Terceira e São Miguel

 
DESCOBERTA DO MÉDICO VETERINÁRIO E VELEJADOR DIOCLECIANO SILVA


http://www.youtube.com/watch?v=7Gm-s-IPwHI&feature=player_embedded
 
Forma piramidal perfeita no mar ao largo da Terceira
 
PIRÂMIDE PERFEITA
 
A batimetria consegue desenhar uma forma subaquática no mínimo enigmática

Uma pirâmide subaquática, a 40 metros de profundidade, foi descoberta ao largo da Terceira por Diocleciano Silva, que revelou o achado ao DI.


Uma pirâmide subaquática localizada a quarenta metros de profundidade foi identificada ao largo da ilha Terceira por Diocleciano Silva, médico veterinário, quando se dedicava, a bordo do seu iate, à descoberta de bons locais para a pesca.
Mapeada através de levantamento batimétrico por GPS, a pirâmide revelou uma altura de 60 metros e uma área de base de oito mil metros quadrados.


"É uma estrutura impressionante pela sua dimensão e perfeição de formas", disse Diocleciano Silva ao nosso jornal.


"A orientação das arestas de acordo com os pontos cardeais principais faz-nos pensar numa implantação cuidadosamente estudada, igual à das pirâmides de Gizé no Egipto", comentou.


"Estamos na presença de mais um grande enigma", entende o médico veterinário, adiantando que o trabalho hidrográfico e as medidas batimétricas devem ser reconfirmados por especialistas, isto antes de o achado ser valorizado.

 
GRANDES ENIGMAS
 
Ao tentar avaliar a sua descoberta, Diocleciano Silva deu consigo a pensar em "períodos temporais obscuros" na história da humanidade".

"Para além das pirâmides egípcias, aztecas e maias, existem esculturas, mapas e outras provas da existência no passado de sociedades muito avançadas", disse.


"Será que o oceano Atlântico tem este nome por ser o sítio onde se localizava a Atlântida?" Esta foi uma das questões que Diocleciano Silva se colocou a si próprio e que partilhou com a nossa reportagem.


Ao médico veterinário não causa grande estranheza que face a descobertas como esta da pirâmide - "a confirmar-se...", vinca - sejam colocadas hipóteses de estudo que apontem, por exemplo, para a Atlântida.


"A procura de vestígios da Atlântida tem-se limitado ao Mediterrâneo e sem obtenção de quaisquer resultados positivos", lembra, acrescentando que "a construção de pirâmides esteve sempre ligada a estruturas sociais muito evoluídas".


Diocleciano Silva diz ter encontrado a forma em causa por insistência e procura de pormenor, mas estranha que a pirâmide não tenha já sido detetada, até porque no essencial, exceto no pormenor, a forma está presente nas batimetrias que existem no mercado.


Nos últimos tempos, tem sido fértil a descoberta nos Açores de artefactos ou construções que remetem para estudos sobre um possível passado pré-português nas ilhas. Mas até agora não tinham ocorrido registos no mar.
IN DI (17-SET-2013)


                        
              Atlantis Rising no site Survey of Atlantis



http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=LEFTWFSTnx0

Neste filme mostra-se que as pirâmides de Gizé estão na mesma linha de latitude que a pirâmide entre a ilha terceira e S. Miguel.

O Arquipélago dos Açores há 10.000 anos foi uma grande ilha com um rio que a atravessava, ver a sua submersão/emersão clicando em Atlantis Sinking / Atlantis Rising no site Survey of Atlantis com o Internet Explorer http://www.tdlhosting.co.uk/azores
 
Survey of Atlantis:

"A brief compilation of evidence to encourage further scientific research and analysis of the issues by specialists to prove or disprove the O'Brien thesis of the recent existence of a large Mid-Atlantic Ridge island centred on the Azores."


 http://www.goldenageproject.org.uk/survey.php#map1
 
A 150 quilómetros a sul dos Açores, em 2009, no âmbito da Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC) o navio hidro-oceanográfico D. Carlos I com uma sonda com múltiplos feixes sonoros, um robô submarino Luso, descobriu e cartografou uma elevação terrestre submarina em forma de cúpula oval rodeada por um fosso. A cúpula oval rodeada por um fosso a que deram nos jornais a designação pouco apropriada de ovo estrelado. Para uns o conjunto visualizado em 3D lembra um ovo estrelado!

 A clara, ou melhor, o fosso da cúpula oval, tem seis quilómetros de diâmetro (na foto em azul). Está a uma profundidade de 300 metros do nível do mar.


                      

A gema, cúpula oval, tem três quilómetros de diâmetro (na foto anéis vermelho amarelo). Do topo da cúpula oval ao nível do mar são 110 metros de profundidade.


 Para os cientistas poderá ser o resultado de um meteorito ou dum vulcão de lama. Antes do fim da última era glacial à 10.000 anos (a.C.) o nível dos oceanos estava cerca de 121 metros mais baixo que atualmente, este "ovo estrelado" e "Atlântida" no Arquipélago dos Açores foram duas ilhas não cobertas pelo mar durante 70.000 anos.

 
José Manuel de Oliveira comentou no blog Portugalliae 27 septembre 2013 19:28 :

O aparelho utilizado pelo Dr. Diocleciano Silva é um monitor processador GPSMAP 520, depois depende da carta que utilize e aparelhos acoplados (sonar, radar etc.) pode mesmo ter o Fish Eye View – Visão 3D submarina dos fundos marinhos:
Carte BlueChart G2 Vision microSD/SD Large Atlantique
L'Autoguidage : exclusivité Garmin. Avec la fonction autoguidage, votre traceur de cartes calcule automatiquement la meilleure route à suivre en fonction des obstacles à la navigation et des caractéristiques de votre bateau.
Mariner's Eye View – Vue 3D aérienne des données cartographiques.
Fish Eye View – Vue 3D sous-marine des fonds marins.
Imagerie satellite haute résolution des zones côtières jusqu'à 5 miles à l'intérieur des terres.
Photos aériennes des ports, des marinas, des routes côtières…
Não esquecer que este GPSMAP 520 Dr. Diocleciano Silva tem certamente um SONAR / RADAR...
Não esquecer que a “pirâmide” do Dr. Diocleciano Silva é indicada no centro de linhas irregulares duma montanha...
O aparelho do navegador Diocleciano não é de comparar ao GPS do seu auto...
 
http://www.ciencia-online.net/2013/09/piramide-submersa-acores.html#.UkK47ciNpcM.facebook
Boas leituras, cumprimentos, José Manuel CH-GE
 
Ainda mais...

Este é mais um achado, que se junta a outros que têm vindo a merecer atenção sobre os Açores (já aqui falámos das Pirâmides da ilha do Pico, da Grota do Medo, dos hipogeus na Terceira e Corvo, etc., não esquecendo também a estranha formação submarina ao largo da Madeira... agora disfarçada no Google Maps)
Apenas aproveito para complementar com alguma outra informação relacionada.
Começamos por uma informação batimétrica dessa zona, entre a Terceira e São Miguel, onde é muito bem conhecido o Banco de D. João de Castro.



Imagem batimétrica, onde se vê o Banco D. João de Castro (info daqui) e assinalamos com uma seta o outro banco que pode ser a formação piramidal mencionada.

A seta preta assinala uma proeminência que se destaca, que parece ter uma forma piramidal pronunciada, e que é a única tão próxima da superfície do mar, sem ser o conhecido Banco de D. João de Castro. Aliás as montanhas submarinas dos Açores têm sido alvo de exploração recente, como mostra o vídeo da Universidade dos Açores:


 
https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=ttl4Qy--xOE

Vídeo da Universidade dos Açores sobre montanhas submarinas açorianas.

Portanto, é claro que o velejador Diocleciano Silva não será o primeiro a deparar-se com a estrutura, que será bem conhecida de todos os que realizaram estudos batimétricos na zona da fossa planalto Hirondelle (... andorinha, era o nome do barco do príncipe Alberto I do Mónaco).

A página de onde retirei a figura batimétrica é sobre uma outra formação, chamada o Banco do Mónaco, mais a sul, sudoeste de S. Miguel. Trata-se de um vulcão submarino, e é curiosa a menção feita na página de vulcanologia:
The volcano is unusual for a European volcano as it has never been studied.


http://volcanocafe.wordpress.com/2012/11/23/monaco-bank-an-unstudied-european-volcano/

Os Açores têm destas coisas... há coisas que nunca foram estudadas.
Por isso são naturais as tentativas de descobrir - ou seja de retirar do encobrir, já que Portugal é feito da matéria do Encoberto.
É claro que a questão do velejador seria prontamente resolvida se houvesse informação disponível, mas assim fica encoberta por toda a ausência de informação divulgada. Estes "achados" são assim falados por uns tempos, correm o Facebook por um par de dias, e depois aguarda-se que entrem naturalmente no esquecimento.
Como a população tem uma curiosidade não persistente, o assunto merece uma atenção fugaz, já que as pessoas se conformaram a ter uma informação não esclarecida. Rapidamente haverá outro assunto que prenderá a atenção, e o mistério desaparece naturalmente.
No caso em concreto convém notar apenas que a formação pode ser natural, pois o aparelho usado pelo velejador parecia estar no limite da sua resolução, e nessa altura as linhas curvas podem ser apresentadas simplificadamente por quatro linhas, e a forma quadrangular pode sugerir uma forma piramidal (as curvas de nível da montanha do Pico numa má resolução poderiam aparecer da mesma maneira).
De qualquer forma, mais importante do que haver ali ou não uma pirâmide, é não haver logo um esclarecimento ao velejador, e o assunto ser alvo de reportagem como se a Marinha não soubesse, nem se tivesse passado ali com um sonar antes...


Ora, este conhecimento vai mesmo para além dos 100 anos, já que há esses estudos reportados a Alberto do Mónaco, e também ao nosso rei D. Carlos, que foi igualmente um oceanógrafo reconhecido.

 
E por falar noutras estruturas invulgares, nos Açores, Piódão e por todo o Mundo...
 
Há carris nos Açores... mas menos conhecidos. Teriam outro propósito que não servir para subsidiar rendas, rendilhados, subvenções vitalícias, com que a via direita alimenta a esquerda, e assim conduz os protestos da manada pelos carris programados...
São estas as imagens dos Açores, de carris definidos agora em pedra solidificada, que estão em causa:




Açores: imagens de carris "pré-históricos" - segundo ancient-wisdom.co.uk

Segundo a informação constante do site ancient-wisdom.co.uk:

"The presence of cart-ruts on the Azores is one of the most unexpected facts to present itself in the search for the first settlers on the Azores. The Portuguese cart-ruts are pre-Christian, as are those on Malta. As we have no record of their being made since the 'official' discovery of the Azores, we must assume that these were made by a people prior to the Portuguese."

... e sim, é tão surpreendente encontrar estes carris, tratando-se de registos "pré-cristãos", tais como os "carris" de Malta.

Serão apenas valetas naturais? Vamos seguir a Malta, no encalço das valetas... não pela capital La Valeta, porque isso seria um gozo óbvio com a designação. Ao lado, sim, está a Ilha de Gozo... bem conhecida pelos monumentos megalíticos, onde também se encontram estas valetas:


 Valetas ou carris, de Gozo, na Malta.
(mais imagens em
ancient-wisdom.co.uk)

Estas valetas bem pronunciadas, sugerindo carris, não estão apenas no Gozo, encontram-se espalhadas nos diversos continentes. No mesmo site podemos encontrar registos em:

Portugal (Piodão), Espanha, França, Suiça, Azerbeijão, Itália, Bolívia e Brasil

deixamos aqui a imagem dos que estão no Piódão:



Piódão - a chamada "estrada real"

Fontes:
 
http://galacticconnection.com/giant-underwater-pyramid-found-near-azores-island-english-subtitles/
http://alvor-silves.blogspot.pt/2013/09/dos-bancos-o-velar-e-as-piramides.html
http://alvor-silves.blogspot.pt/2013/07/as-valetas-o-gozo-e-malta.html
http://portugalliae.blogspot.pt/2013/09/teoria-da-atlantida-no-arquipelago-dos.html?view=classic


Nota adicional: (12/10/2013)

A Marinha parece ter reduzido o problema à confusão do navegador com o Banco D. João de Castro:

http://videos.sapo.pt/4ZeL4bIIsVFCdsBK4btn

É engraçada a forma de desinformação dos tempos recentes - basta a uns dizerem que sim, e a outros dizem que não.
Um é velejador solitário, o outro é a Marinha com os registos oficiais de maior "sensibilidade".
Não foi preciso confrontação dos dois registos.
Ficamos a saber que até à comunicação à RTP Açores, o velejador pesquisou durante vários meses sem saber da existência de tal banco, que aparece em todos os mapas. Por outro lado, os repórteres da RTP Açores fazem uma reportagem sem se informarem com mais nenhuma fonte. A Marinha demora 12 dias a concluir uma trivialidade poderia ter sido esclarecida em 5 minutos.
Uma trapalhada!... uma sucessão de enganos e incompetências, que afetam instituições com algum prestígio - mas é suposto ser normal as instituições darem como perdida a sua respeitabilidade. Haja paciência!

 De qualquer forma, já antevendo desfechos deste género como os únicos possíveis num quadro de ocultação, este texto foi feito para ter relevância para além da observação de Diocleciano Silva.
Entre outras coisas, fica claro pelo mapa que apresentámos aqui que há uma estrutura de forma piramidal acentuada, que não é o Banco D. João de Castro, é aquela que está assinalada pela seta a negro, e que mais uma vez não foi mencionada.


Comentado e publicado com agradecimentos às fontes referidas por Curadora64

Copyright © Curadora64 All Rights Reserved. You may copy and redistribute this material so long as you do not alter it in any way, the content remains complete, and you include this copyright notice link:
http://auras-colours-numbers.blogspot.com/2014/01/acores-e-atlantida.html
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

copyscape

Protected by Copyscape

Adam Kadmon

Meridianos MTC

Kundalini

Toroide - Energia Livre

Formas de Pensamento

A Grande Invocação

Meditação pela Paz

Meditação fora do espaço e tempo (a qualquer hora e em qualquer lugar, sem inscrições nem regras)Apelo ao envio de Luz...

Posted by Auras, Cores e Números on Sábado, 11 de Julho de 2015

Aura - o que é?

Controlo da Mente

Vida ET


"Se não existe vida fora da Terra, então o universo é um grande desperdício de espaço."- Carl Sagan
Posted by Auras, Cores e Números on Sábado, 29 de agosto de 2015

Chakras

Deva Premal - playlist