Colecção Auras G+

Colecção Auras G+
Posts por temas

Publicação em destaque

Transformando emoções em sentimentos

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Ervas e Curas - o Glossário Herbal - 1ª parte

Prefácio por (Contra) Mary:



O meu primeiro intuito é homenagear o Reino Vegetal que tanto admiro e amo. O nosso planeta tem sofrido uma grande transformação e a aura da Terra, antes azul está cada vez mais esverdeada. A cor é exatamente um azul esverdeado e penso que as plantas têm algo a ver com isto.

Este artigo começou por ser re-blogado a partir de Mistérios Antigos.

Era sobretudo uma lista de plantas com curtos comentários e uma pequena introdução que mantive.

De inicio, juntei mais alguns comentários de maneira a enriquecer o conhecimento de plantas que atualmente são tão comuns na flora Europeia.

No entanto, o que agora chamo de Glossário Herbal, evoluiu de tal maneira que está irreconhecível do seu rascunho inicial.

Embora algumas plantas, sejam aqui apresentadas, como tendo origem fora da Europa, estão disseminadas e/ou são vendidas mundialmente.

Por isso este "glossário Herbal" pode ser usado por pessoas do Mundo inteiro para conhecer melhor as plantas medicinais.

Contudo recomenda-se cautela nas doses e antes de tomar as que não conhece, será aconselhável consultar um médico ou herbalista experientes.


O USO ADEQUADO DE PLANTAS E SUA INFLUÊNCIA NA SAÚDE

A importância das plantas na saúde e na doença.

Com o intuito de auxiliar no trato com as plantas tóxicas, Rejane Barbosa de Oliveira, bióloga formada da Universidade de São Paulo, lançou ano passado, junto com Silvana Aparecida de Godoy e Fernando Batista da Costa, o livro "Plantas Tóxicas - conhecimento e prevenção de acidentes". A obra traz informações sobre como prevenir intoxicações e também a respeito de medidas emergenciais para o tratamento dessas intoxicações.

A utilização de vegetais pelo homem em diferentes espaços e situações é comum, e, por isso, devido à diversidade de espécies existentes, acidentes com plantas tóxicas acontecem. Para evitá-los é preciso conhecer as plantas com as quais se vive. É normal a intoxicação por confusão com plantas medicinais, ou mesmo por ingestão acidental. Sabendo usar, os "verdinhos" podem render alimentos e remédios, e no lado oposto, podem levar à morte.

O aspeto medicinal dos remédios engloba duas formas de tratamento mais conhecidos: a fitoterapia, que utiliza as plantas em seu estado bruto, principalmente por meio de chás, exigindo cuidado para que doses mal administradas não causem efeitos tóxicos e colaterais; e a homeopatia, surgida no século VIII, e na moda dos últimos anos, em que substâncias naturais que podem causar danos ao corpo sofrem processo físicos cuidadosos, transformando-se em remédios contra as mesmas doenças que provocam.

No lado oposto, existem plantas que podem ser prejudicais quando aplicadas de forma inadequada, tornando-se drogas. Nesses casos, elas têm a capacidade de induzir o indivíduo ao uso continuado, levando à dependência. Segundo o médico e farmacêutico Professor José Elias Murad, presidente da Fundação Abraço - Associação Brasileira Comunitária para a prevenção do Abuso de Droga - são drogas de abuso, pois levam à dependência, que "nada mais é que a intoxicação crônica pelo uso frequente", conclui. Ele faz essa distinção de termo, pois para a Organização Mundial de Saúde (OMS), qualquer substância ou produto que cause alguma alteração no organismo vivo é droga. "Então, tudo é droga", brinca.

Veja aqui o seu problema, ou a sua necessidade...as Ervas com a descrição das mesmas e modo de preparo das infusões. Mas apesar disso, não deixe de procurar seu médico.

Tome nota:


O que é Infusão: Consiste em se despejar água fervente sobre a planta e depois abafar por uns 15 minutos. Este processo é utilizado para flores, folhas e também para ervas aromáticas, pois se as fervermos as essências poderão volatilizar (perder-se pela ação do calor), causando a perda de sabor e poder medicinal do chá.

O que é Cocção: Consiste em se cozinhar a planta. Este processo deve ser restrito a raízes, cascas e sementes e a fervura pode variar de 3 a 15 minutos.

Como adoçar um chá: Os chás geralmente não precisam ser adoçados. Em alguns casos, porém, pode-se usar o mel quando se quiser aproveitar suas propriedades medicinais (gripes, tosses, etc.), mas só devemos adoçar depois de coado, quando o chá já estiver morno, nunca antes, pois o calor destrói o poder medicinal do mel.

Qual é o Prazo de validade: Nunca use um chá mais de 24 horas depois de preparado, pois ele entra em processo de fermentação (mesmo mantido em geladeira). Prepare a quantidade suficiente para um dia apenas.

Por quanto tempo devo usá-lo: Recomenda-se não usar o mesmo chá por tempo prolongado, pois o nosso organismo responde cada vez menos ao tratamento. Use por um período de 30 dias e troque por outro tipo de chá, retomando o seu uso após algum tempo.

 

                  Glossário Herbal_____________


Abacate- Persea americana- América do Sul
 
Uma árvore da família da laureáceas nativa do México ou da América do Sul, hoje extensamente cultivada em regiões tropicais, inclusive nas Ilhas Canárias e na Ilha da Madeira.1
 
Facilita a digestão e o seu consumo constante e prolongado combate o reumatismo e o ácido úrico. É útil no combate aos cálculos da vesícula biliar e às úlceras gastroduodenais.
 
 
 
Originário da América tropical, de regiões colonizadas por espanhóis, o abacate espalhou-se pela América do Sul, chegando até a Amazônia, podendo ser encontrado hoje em todas as regiões do Globo que possuem solos férteis e calor suficiente. Existe mais de 30 tipos de abacate no Brasil, atualmente o maior produtor mundial, mas exporta menos do que deveria, pois pelo motivo de o nosso abacate ser grande e bonito (pesa em média 500 gramas), é estranho aos consumidores europeus, que preferem frutos de menores dimensões, como o avocado, cultivado há apenas 1 década no Brasil, o qual pesa cerca de 85 gramas apenas. O Brasil é o único país do mundo que tem o hábito de comer abacate com açúcar, no resto do mundo ele é consumido em preparações salgadas. Pelo motivo de ser consumido com açúcar no Brasil, o abacate, que é uma fruta rica em gordura, ganhou facilmente a fama de ser calórico e foi excluído da dieta habitual por toda a população por medo do ganho de peso e aumento de colesterol, fatos que vamos conferir a seguir que é um grande MITO!
 
COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL
O abacate é uma das raras frutas que contém proteínas, é rica em gordura monoinsaturada (a mesma do azeite de oliva), vitamina E, C e A, acido fólico (essencial para gestante), potássio, ferro e betacaroteno.
 
 

 
 

QUAIS SÃO SEUS BENEFÍCIOS?

Efeito Anti-obesidade

Ele tem a fama de engordar, e devido sua riqueza de calorias, sempre foi o grande vilão das frutas e inimigo das dietas, mas agora, acredite se quiser, pesquisadores do mundo todo afirmam que a fruta emagrece, diminui o índice de massa corporal (IMC) e reduz em até 42% o risco de síndrome metabólica (desordem capaz de desencadear diabetes e obesidade). O segredo está em comer a fruta com frequência em doses moderadas, sozinha ou em receitas leves. O mérito deste poder está no ÁCIDO OLÉICO, a mesma gordura do azeite de oliva, esse tipo de gordura é excelente para regular os níveis de colesterol total e elevar o bom colesterol (HDL colesterol).
 

Quais são os efeitos que auxiliam na redução de peso?
 
Aumenta a saciedade, adia a fome e procura por alimentos;
A presença de uma substância chamada Beta-sitosterol, reduz a inflamação das células, facilitando o emagrecimento, a perda de gordura corporal, melhorando o controle do diabetes.
Quando consumido na hora de dormir, o abacate intensifica a ação da hormona do crescimento (GH), que ajuda o corpo a formar mais músculos e usar a gordura estocada como fonte de energia.
 

Considerações sobre o peso corporal
 
Por ser um alimento calórico, o exagero não descarta aumento de peso, por isso é importantíssimo o consumo na quantidade correta e sem açúcar. Peça ajuda da sua Nutricionista para introduzi-lo com segurança na dieta. Lembrando que engordamos quando comemos mais do que gastamos!

Infelizmente não existem milagres, devemos sempre ter bom senso e fazer boas escolhas alimentares, além de uma atividade física rotineira. A quantidade correta para consumir o abacate é em média 2 colheres de sopa, 3 vezes na semana. Uma porção suficiente para trazer pontos positivos para saúde.
 
Outros benefícios do Abacate na Saúde:

Importante para o crescimento das crianças e para nutrição equilibrada em idosos;

Auxilia os diabéticos no controle da glicemia, devido seu baixo índice glicêmico;

Importante para hipertensos, devido seu alto teor de potássio e insignificante teor de sódio;

Previne e trata doenças cardiovasculares (gordura monoinsaturada);

Essencial para tratamento de doenças do fígado (Esteatose hepática - “gordura no fígado”, hepatite, intoxicações), devido seu alto teor de L-glutationa, um poderoso antioxidante, que ajuda a atenuar os danos provocados nesse órgão;

Melhora problemas do aparelho digestivo (gastrite, prisão de ventre, cólicas intestinais e flatulência), além de possuir uma boa digestibilidade;

Para atletas auxilia a força muscular e desempenho, por ser uma grande fonte de energia;

Possui beta-sitosterol, também ajuda a combater rugas, acne e celulite;

Possui polifenóis anticancerígenos, que ajudam o corpo a neutralizar a ação dos radicais livres.
                                        
COMBATENDO UM MITO: E como fica o colesterol?
 
Abacate não possui colesterol na sua composição por ser de origem vegetal.
A gordura monoinsaturada presente no abacate e no azeite de oliva protege os vasos sanguíneos e o coração contra infartos, tromboses, entupimento das veias, doenças cardíacas e bloqueia a ação do LDL (colesterol ruim).
O consumo frequente de abacate reduz os níveis de Colesterol Total e Triglicerídeos e eleva os níveis do HDL (bom colesterol).
 

DICAS CULINÁRIAS
 
Cuidados ao comprar:
Os melhores abacates são os mais pesados e firmes. Algumas vezes apresentam manchas de cor marrom-clara na casca, mas este é um defeito apenas superficial que não altera a qualidade da fruta. Para saber se esta no ponto faça uma ligeira pressão com os dedos na casca, quando está maduro o dedo afunda levemente na fruta.
 

Cuidados no preparo:
A polpa deve estar sem fibras, esta sim sem manchas, começando a amolecer.
Não pode ser cozido nem aquecido;
Para que o creme de abacate não escureça, depois de pronto coloque-o num prato fundo e ponha o caroço da fruta, sem lavar, bem no meio do prato, guardando-o na geladeira até o momento de servir;
Para pratos salgados, use abacates bem maduros, caso contrário ficarão muito amargos;
 
Como conservar:
Deve ser guardado em local fresco e arejado;
Se desejar que o abacate amadureça mais rápido ao levar para casa, enrole em um saco de papel e coloque em ambiente sem luz;
O abacate ainda verde não pode ser guardado na geladeira, pois interrompe o processo de maturação;
Para que o abacate cortado não escureça, passe uma camada fina de limão na parte cortada;
Quando for usar somente metade do abacate, deixe a outra metade guardada na geladeira com o caroço, para evitar que deteriore com rapidez;
http://danusaefarida.blogspot.pt/2012/05/aproveite-abacate-fruta-da-estacao.HTML

Abacaxi, Ananas comosus (L.) Mernil  - Bromeliaceae - América do sul


Abacaxi ou Ananás é uma planta monocotiledônea da família das bromeliáceas, subfamília Bromelioideae. Os abacaxizeiros cultivados pertencem à espécie Ananas comosus, que compreende muitas variedades frutíferas. Há também várias espécies selvagens, pertencentes ao mesmo gênero e grupo. O fruto, quando maduro, tem o sabor bastante ácido e muitas vezes adocicado.
 É um alimento rico em Vitamina C, betacaroteno e Vitaminas do complexo B e minerais como cálcio: manganês, potássio e ferro e fibras, que são importantes para uma vida saudável. Alem disso contém uma poderosa enzima, chamada bromelina. A segundo revela as pesquisa, esta enzima pode ajudar na redução de inflamações de muitas causas e também contribui para uma boa digestão. Além disso é essencial para as pessoas do grupo sanguíneo A. Sendo rico em fibras solúveis é otimo para controlar os níveis de colesterol no sangue, acelera a cicatrização dos tecidos, é indicado para pedra nos rins, hipertensão arterial, anemias; Para quem quer perder peso o abacaxi é importante, (principalmente quem tem retenção de líquidos).

Tem ação depurativa e diurética. Usado fora das refeições diminui o excesso de acidez no estômago. Combate a qualquer tipo de pedra nos rins, usado contra o catarro nos brônquios e contra a obesidade.
 
Reduz o colesterol possuindo fibras solúveis que atuam diretamente no sangue, evitando a aglomeração de gordura no organismo.
 
Receita
No liquidificador, bata 400 ml de água, 1 xícara de chá de acerola, 2 rodelas de abacaxi e suco de 1 limão. Coe e tome 1 copo 2 vezes ao dia.
 
Evita gripes e resfriado
O abacaxi é rico em vitamina C, que reforça a defesa do organismo imunizando-o contra diversas doenças, como a gripe e o resfriado.

 
Receita
No liquidificador, bata 2 rodelas de abacaxi, 2 folhas de hortelã e ½ litro de água. Tome 1 copo, 2 vezes ao dia, após as refeições.
 
Antioxidante

A vitamina A, presente em grande quantidade na fruta, age como antioxidante, prevenindo o envelhecimento precoce e até alguns tipos de câncer.
 
Receita
No liquidificador, bata 2 rodelas de abacaxi, 1 folha de couve lavada, ½ maçã sem casca e sem sementes e 200 ml de água. Coe e tome a qualquer hora do dia.     sementes e 200 ml de água. Coe e tome a qualquer hora do dia.   
 

 
ABÓBORA Curcubhita Pepo – Curcubitáceas

                        

Planta rasteira de haste flexível, coberto de pelos eriçados, possui folhas grandes palmadas e pecioladas, também coberta de pelos, flores grandes axilares. O fruto é amarelo ou verde, polposo de grandes dimensões, contendo numerosas sementes brancas, planas e ovais, contidas em invólucros claros.

INTESTINO: cozinhar 100 gr. De polpa de abóbora madura e 1 litro de água, aguarde atingir metade da quantidade inicial, então passe através de uma peneira e tempere, use durante o dia.

QUEIMADURAS: fazer cataplasmas com as folhas bem limpas e aplicá-las sobre a região afetada.


TENÍASE: fazer uma pasta com 50 gr. De sementes frescas de abóbora, 20 gr. De mel, e 150 gr. De água que tenha sofrido prévia infusão por algumas horas em casca de limão ou laranja, após 12 horas de jejum ingerir a pasta e tomar um purgante à base de óleo de rícino. Se não obtiver resultado, repetir a operação.

Acelga - Beta vulgaris - Mediterrâneo
 

A acelga é um hortícola que pertence à espécie Beta vulgaris. A acelga é originária da bacia do mediterrâneo. Acredita-se que tenha vindo a ser utilizada tanto como alimento como medicamento, desde a pré-história.

Pensa-se que este hortícola fosse valorizado já na Grécia Antiga, pois foi citado por filósofos como Aristóteles (384 aC – 322 aC).
No século VIII, o cultivo da acelga era frequente na China, daí difundiu-se para o resto da Ásia. Ainda hoje é um ingrediente-chave da culinária de diversos países do Extremo Oriente.
Na Europa, a acelga começou por popularizar-se, especialmente na França, a partir da Idade Média.
Na atualidade, pelo facto da acelga ser cultivada em zonas temperadas, encontra-se amplamente difundida a nível mundial, podendo encontrar-se diversas variedades, entre elas a acelga crespa, que ostenta folhas verde-escuras, talo branco e um gosto que se assemelha ao do espinafre; a acelga branca que apresenta talos largos e folhas verdes; e a acelga japonesa de folhas justapostas e fechadas, com cor amarelada na base e miolo e verde-clara nas bordas.
Em Portugal a acelga encontra-se disponível para consumo entre Outubro e Junho.
 
Informação Nutricional
 
A acelga, à semelhança dos restantes hortícolas, é pobre em energia e rica em água. Destaca-se também o seu teor em vitamina C, cálcio, fósforo, potássio e fibra. Tabela de composição nutricional (100g de porção edível)
 

g = grama
mg = miligramas
Porção Edível = diz respeito ao peso do alimento que é consumido depois de rejeitados todos os desperdícios.
Fonte: Lima D, Colugnati F, et al. Tabela Brasileira de Composição de Alimentos. São Paulo: Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação; Universidade Estadual de Campinas. 2006.


Vantagens e desvantagens
 
A acelga é um hortícola com interesse para a saúde, devido ao seu perfil nutricional. As quantidades apreciáveis de fibra e água contribuem para o normal funcionamento do intestino e para a regulação dos níveis plasmáticos de colesterol, o que contribui para a melhoria da função intestinal e cardiovascular, respectivamente.
O potássio desempenha um papel importante na regulação da tensão arterial, no equilíbrio dos fluidos corporais e na contração muscular. O aporte diário de potássio poderá estar limitado em casos de insuficiência renal.
A acelga fornece quantidades apreciáveis de vitamina C, um antioxidante que favorece o sistema imunitário, auxiliando o organismo na proteção contra infeções, e a produção do colagénio, uma proteína que faz parte de várias estruturas do nosso organismo, como a pele, tecido conjuntivo, cartilagem e tendões.
O cálcio e o fósforo intervêm na formação e manutenção da saúde óssea e dentária, assim, são importantes durante a infância e adolescência para assegurar um crescimento e desenvolvimento adequados; e na idade adulta, para a manutenção das massas ósseas e dentárias e para a prevenção das suas perdas.
O fósforo contribui também para o bom funcionamento do sistema imunitário e auxilia a regeneração de tecidos.
 
Como comprar e conservar
 
Adquira a acelga fresca, com folhas polidas, brilhantes, viçosas e com uma consistência firme. Evite a acelga que apresente um talo mole, com pontuações negras, folhas amareladas ou com manchas escuras, pois estes são sinais de deterioração.
No frio, a acelga conserva-se crua ou cozinhada durante 3 a 4 dias.
Se pretender congelar a acelga, mergulhe as suas folhas em água a ferver e, seguidamente, coloque-as num recipiente com água gelada, de forma a interromper o cozimento. Posteriormente, armazene-a no congelador num recipiente hermeticamente fechado
 
 
Veja também:
 
 
AÇAFRÃO Crocus sativas – Iridáceas


                                                

Planta Serbácea, com o bolbo maciço, aplanada, de escamas secas, possuindo próximo ao topo algumas folhas rudimentares. Esbranquiçadas e outras verdes um pouco acanaladas; flores com pedúnculo curto, com o tubo perigonial muito prolongado, arroxeadas, com estrias longitudinais. Os estigmas são vermelhos denticulados no ápice tubulosos e com formato de trompa.
 
O açafrão também tem sido empregado para fins medicinais, há séculos. Historicamente foi utilizado no tratamento do câncer e de estados depressivos. Tais aplicações têm sido pesquisadas atualmente. Efeitos promissores e seletivos contra o câncer têm sido observados in vitro e in vivo, mas não ainda em testes clínicos. Efeitos antidepressivos também foram encontrados in vivo e em estudos clínicos preliminares. Há portanto interessantes perspetivas de uso dos extratos de açafrão na fitoterapia racional.

ALCACHOFRA Cynara scolymus – Compostas


                                


Planta de caule alto e reto: As folhas lombadas e espinhosas possuem ápice de cor verde escura e a base esbranquiçada. Os ramos terminam em grandes capítulos carnosos por brácteas que constituem a parte comestível.

CÁLCULOS BILIARES - Decocção: ferver 80 gr., de alcachofra em 1 litro de água por 10 minutos. Tomar 3 xícaras ao dia.

DIURÉTICO - Decocção: ferver durante 5 minutos 20 gr., de alcachofra em 1 litro de água, deixe o líquido amornar, filtrar e adoçar. Tomar 3 xícaras ao dia.

VINHO MEDICINAL: Colocar num recipiente 1 litro de bom vinho e 20 gr de folha de alcachofra. Deixar macerar por 5 dias. Filtrar e tomar 2 cálices ao dia.
 
Agrião -  Nasturtium officinale - Brassicae - Sudeste Ásia


 
O agrião é originário do sudeste da Ásia, e vem sendo utilizado há vários séculos na Europa, principalmente por gregos e romanos, que apreciavam banquetes ricos em especiarias e saladas picantes.

 O agrião de terra seca é uma hortaliça tipo folha, rica em vitamina C e em sais minerais. O agrião é mais rico em ferro que a couve e o espinafre e os talos são ricos em iodo. É uma brássica, assim como a couve, o repolho e os brócolos.
 
Cru tem efeito tônico nos brônquios e pulmões, além de ser útil contra faringite e processos infeciosos da boca e garganta. Cozido tem ação estomacal tônica e depurativa. O sumo do agrião é útil contra a anemia, o escorbuto, a tuberculose, a pneumonia e as bronquites em geral, inclusive a dos fumantes; também é indicado para a febre persistente e a icterícia.
 
O agrião é um dos produtos mais eficientes para manter a beleza natural e redobrar a energia. O vegetal possui elementos que auxiliam no combate ao câncer, agem na melhora do funcionamento do fígado e previnem a perda da memória.

Altamente benéfico, o agrião aumenta a imunidade, mantendo a juventude. O agrião é rico em vitamina C, que ajuda na regeneração das células epiteliais, melhora o funcionamento do fígado e aumenta a imunidade do organismo. Também é fonte de fenetil de isocianato, elemento químico que combate as células cancerígenas. O agrião contém ainda iodo essencial para o bom funcionamento da tiroide, e vitamina B6, que previne a perda da memória. É digestivo, pois estimula a vesícula a liberar a bile, que atua no processamento das gorduras.

O agrião combate o ácido úrico, a tuberculose, o raquitismo, a formação de pedras nos rins, as cistites e ainda os efeitos tóxicos da nicotina. Como um dos produtos mais ricos da natureza, o agrião é digestivo, faz bem ao fígado, é diurético e bom para os diabéticos.

Receita deliciosa de BOLO DE AGRIÃO:






Ingredientes

 
1/2 maço de agrião
4 gemas
150ml de óleo
2 xícaras de açúcar
2 xícaras de farinha de trigo
4 claras em neve
1 colher (sopa) de fermento

Modo de Preparo
Bater no liquidificador o agrião, o óleo e as gemas até obter um creme.
Passar esse creme para uma tigela, acrescentar o açúcar, a farinha de trigo misturando bem.
Acrescente as claras em neve misturando delicadamente e por último o fermento.

Assem em forno pré aquecido 180 graus por 30 minutos.


O suco, adoçado com mel, dá um excelente xarope para combater bronquite, tosse, tuberculose pulmonar e toda a sorte de enfermidades catarrais.

Preparar uma loção, misturando 50 gr. de suco de agrião e 10 gr. de essência de amêndoas amargas é ótimo para a pele (avermelhamento devido ao vento ou ao sol)

Para cravos e espinhas : Misturar 50 gr. do suco de agrião com 20 gr. de mel e aplicar no local afetado.
http://fitosaude.blogspot.pt/2011/04/agriao.HTML

COMO CONSUMIR

O agrião pode ser usado cru em saladas, sozinho ou misturado com outras hortaliças como alface, rúcula e chicória e em sucos com diversas frutas. Também pode ser usado para incrementar sanduíches, panquecas, rabadas, rocambole, pães, molhos, sopas e purês. Os talos podem ser usados em sopas, misturados ao arroz, refogado com temperos e ovos batidos, como recheio de suflês e bolinhos.
As folhas temperadas com limão,
sal e azeite são um excelente acompanhamento. Antes de consumir as folhas cruas, lave-as com bastante cuidado em água corrente, removendo os talos grossos e as folhas amareladas ou escuras. Coloque as folhas verdes e talos finos em solução de água com Amukina por 30 minutos (1 colher de Amukina para 0,5 litros de água filtrada) ou use produtos próprios para higienização de saladas, disponíveis nos supermercados. Enxague as folhas com água filtrada, em seguida. 

      
DICAS

* Faça saladas sofisticadas acrescentando agrião, nozes, maças fatiadas bem finas ou cubinhos de queijos finos.
* O xarope de agrião com mel é muito usado na medicina popular e na indústria farmacêutica para curar a tosse.
* Temperos utilizados com agrião: cebola, alho, azeite, limão, pimenta, salsa, cebolinha verde.

 


+Receitas
Receita de Sanduíche
Ingredientes:
* 10 fatias de pão de fôrma
* 2 xícaras (chá) de ricota amassada
* 2 xícaras (chá) de agrião picado
* 3 colheres (sopa) de suco de limão
* 1 colher (chá) de sal
* 1/2 xícara (chá) de cheiro verde
* 2 colheres (sopa) de maionese
* 1 colher (sopa) de creme de leite
* 2 colheres (sopa) de passas sem sementes
Modo de fazer:
* Reserve as fatias de pão;
* Junte os demais ingredientes em uma vasilha e misture até formar uma pasta homogênea;
* Passe esta pasta em uma fatia de pão e cubra-a com outra e sirva;
Tempo de preparo: 10 minutos
Rendimento: 5 sanduíches
Sugestão: utilize queijo tipo minas no lugar da ricota.
 
Suco de Agrião com Abacaxi
 
Ingredientes:
* 1/2 maço de agrião
* 1 abacaxi
* 1 litro de água gelada
* açúcar a gosto
Modo de fazer:
* Bata todos os ingredientes no liquidificador;
* Coe e sirva gelado.
Tempo de preparo: 10 minutos
Rendimento: 1 litro
Sugestão: substitua o abacaxi por frutas como laranja e maracujá.
 
Salada enriquecida com Agrião 
      
Ingredientes:
* 1/2 xícara de agrião picado para o molho da salada
* 1/2 maço agrião lavado e com as folhas inteiras separadas para compor a salada
* 1 colher (sopa) de suco de limão
* 1 xícara (chá) de iogurte
* 1 colher (chá) de sal
* 1/2 xícara (chá) de cheiro verde
* 1 batata grande cozida e cortada em cubinhos
* 1/2 xícara de maçã cortada em cubinhos
* 2 cenouras médias cortadas em cubinhos
* 1 xícara (chá) de vagem cozida cortada fininha
* 1/4 xícara (chá) de cebola picada
* 2 colheres (sopa) de passas

Modo de fazer:
* Bata rapidamente no liquidificador o agrião picado, o limão, o sal, a cebola e a maionese; misture o cheiro-verde e reserve;
* Numa vasilha, misture as batatas, as cenouras, as passas, a vagem e a maçã, acrescente o molho e misture;
* Forre uma tigela com as folhas de agrião, acrescente a mistura com o molho;
* Sirva gelado.
Tempo de preparo: 30 minutos
Rendimento: 6 porções

 
 
ALFACE Lactuca sativa - Compostas

                               

Folhas radiais moles, oblongas reunidas em céspedes e flores amarelas.

CONTUSÕES, INCHAÇOS, PELE (Irritação, Rubores): Cataplasma - ferver algumas folhas de alface em pouca água por 5 minutos, depois de mornas, untar com azeite e aplicar sobre a região afetada.

INSÔNIA: - Decocção - ferver meia alface em um quarto de litro de água. Deixe amornar, filtrar e adoças, beber meia hora antes de dormir.

INTESTINO: - Decocção - cozinhar 60 gr de alface em meio litro de água, deixar amornar antes de filtrar, beber 3 cálices ao dia.


Alfavaca - Parietária officinalis - Urticaceae - Europa



É uma pequena planta que possui folhas de forma oval e pequenas flores esverdeadas ou avermelhadas . Esta planta floresce principalmente entre Julho a Outubro. Uma das mais curiosas características desta planta é o facto de germinar e de se desenvolver quase em qualquer sítio, como por exemplo em fendas nas estradas e em buracos dos muros.

Esta planta pertence á família Urticaceae, a mesma família onde pertence a famosa urtiga, por isso a alfavaca partilha com a urtiga algumas características morfológicas, tais como o tamanho, a forma das folhas e, até mesmo os pelos urticantes característicos da urtiga, sendo que os pelos da alfavaca não causam irritações na pele.
 
Esta planta era usada para aliviar queimaduras, inchaços, feridas, gretas dos lábios ou da pele, fissuras anais e lesões nos mamilos.

O chá feito de folhas de alfavaca, misturado com mel é muito utilizado para combater várias doenças das vias urinárias. O consumo contínuo deste chá pode ajudar a dissolver pedras nos rins, evitando assim as intervenções cirúrgicas.

O chá de alfavaca também previne a retenção de urinas, pois o consumo de alfavaca faz aumentar a produção de urina muito diluída. Aconselha-se igualmente a pessoas com problemas digestivos, doenças no estômago e intestino, flatulência, hepatites, febre e tosse.

Nome popular

alfavaca-de-cobra, parietaria, erva das muralhas, erva fura paredes, erva de santana, erva de nossa senhora, erva dos muros, favaca e favaca-de cobra, (Beira Baixa), helxina, cobrinha (Estremadura), colerinha palietária, palietária, paletaina, palitaina, paleiro, pulitaina (Ponte de Lima), pulitária, urtiga mansa (Açores).


Parte usada
Toda a planta.


Indicações terapêuticas

Nefrites, cistites, prostatites, calculose renal, oligúria, digestões pesadas, flatulência, hepatites, febre, queimaduras, feridas, gretas dos lábios, da pele, do mamilo e fissuras anais.
 

Uso Interno

Infusão: 30 a 50 g da planta seca ou fresca para 1 litro de água fervente, que se bebe em 5 tomas ao longo do dia
Sumo: da planta acabada de colher tomar 1 decilitro 3 vezes por dia.
Tintura e Alcoolatura: 50 gotas por dia.
Extrato fluído: dose máxima de 20 ml por dia.


Uso Externo

Banhos: Infusão de 60 g da planta seca ou fresca para 1 litro de água fervente.

Gargarejos: Infusão de 60 g da planta seca ou fresca para 1 litro de água fervente.

Cataplasmas: da planta fresca bem esmagada, que se aplica na zona tratar.


Efeitos secundários
Não foram relatados quaisquer efeitos secundários nocivos.


Observações

Veterinária: infusão ou cozimento para tratamento das nefrites dos bovídeos


Bibliografia: Nunes, João R., 'Medicina popular -Tratamento pelas plantas medicinais', Litexa Editora, Setembro 1999, Chaves, António J. Leal - “Viva Melhor com as Plantas Medicinais” – Edições Une – 2008



Alecrim - Rosmarinus officinalis -  Mediterrâneo

O alecrim é uma planta de porte arbustivo que é muito comum nas regiões mediterrâneas. Possui um aroma muito característico, e por essa razão o seu nome científico, Rosmarinus significa orvalho do mar.
Esta planta é muito ramificada e possui folhas verdes, pequenas e finas. As suas flores são azuladas ou esbranquiçadas.
O alecrim floresce durante todo ano, não precisa de grandes cuidados para sobreviver e é resistente a pragas, pelo que é facilmente cultivado em jardins e parques. Uma das mais famosas características do alecrim é provavelmente o seu aroma. Esta planta possui um aroma forte agradável. Este aroma chega até a ser utilizado em alguns perfumes.
Acredita-se que o seu aroma juntamente com a cor azulada das suas flores serve para atrair insetos polinizadores. Na medicina tradicional, o alecrim é utilizado como um medicamento contra febres e acredita-se mesmo que o alecrim consegue reanimar pessoas debilitadas.
O chá de alecrim é usado para combater tosses e problemas de estômago. Mas o alecrim tem usos menos conhecidos para a população em geral. Estudos científicos contemporâneos revelam que o alecrim pode fortalecer os músculos e ajuda a melhorar a memória, podendo ser assim utilizado em doentes de Alzheimer.
O alecrim também é utilizado na igreja. Antigamente, o alecrim era queimado juntamente com o incenso, de modo a aromatizar procissões e outras práticas religiosas.
 
Alho - Allium sativum - Ásia
 
O alho (Allium sativum) é uma planta que possui um bolbo subterrâneo (cabeça do alho) que é usado tanto para a medicina como para a culinária.
Estudos indicam que o alho foi cultivado pela primeira vez em certas regiões da Ásia e, mais tarde, foi levado para todas as partes do mundo.


Possui folhas longas e finas com nervuras paralelas e uma raiz fasciculada e sem nenhum eixo principal ou seja é uma planta monocotiledónea. O seu caule é longo e termina inferiormente num bolbo, onde se armazenam substâncias de reserva para toda a planta.

 
O alho é uma planta que é cultivada em todo o mundo e muito apreciada pelo seu valor nutricional. Existem inúmeros pratos confecionados com alho, sendo que este é utilizado principalmente como tempero. 

 
Uma faceta menos conhecida do alho é as suas propriedades medicinais utilizadas desde o Antigo Egipto. Os alhos possuem químicos antibacterianos que melhoram o desempenho do sistema imunitário. Esta planta também possui substâncias que melhoram gradualmente a circulação sanguínea e por isso pode melhorar as condições de vida de pessoas com elevada tensão arterial, com problemas de colesterol ou com disfunção eréctil.
 
Propriedades do Alho:

- Efeito hipotensor devido a vasodilatação periférica, sobretudo nas pernas, olhos e cérebro. Recomendado para tratar a esclerose cerebral.
 - Efeito anti arteromatoso, comprovado em animais.
 - Efeito hipo colesterolemiante (tratamento do Colesterol).
- Previne a agregação plaquetária; útil em tromboses e arterioscleroses.
- Efeitos bacteriostáticos (tratamento de inflamações por bactérias).
- Efeitos fungicida (para tratamento de micoses) em dermatofitos (que afectam a pele), leveduras, como Cândida albicans.
- Efeito anti helmíntico suave (Tratamento de parasitas intestinais).
 - Efeito expectorante.
 - Rubesfaciente e vesicante em uso externo.
Também se usa para combater problemas artríticos, inclusive em forma de tintura, ou noutras formas, para uso externo, e ainda em frieiras e verrugas. Em alguns lugares é usado, igualmente, como preventivo do cancro.
 
O Alho contém fructosanos (cadeias de moléculas de frutose) em abundância que lhe conferem una clara acção diurética. A sua essência (óleo essencial) contém dissulfuro de alilo proveniente da decomposição da alicina por acção duma enzima, a alizinase. Contém vitamina A, B1, B2, C, uma amina do ácido nicotínico, colina, hormonas, alicetoína I e II, ácido sulfociánico, iodo e vestígios de urânio. Esta complexa composição faz com que o alho tenha uma acção muito diversificada no organismo.
Para tratamento, é necessário utilizar o Alho com a abundância e a frequência adequadas.
Nos casos genéricos e como “remédio caseiro”, a dose média é de, aproximadamente, duas cabeças de alho por dia…
Há quem descasque e corte, miudinho, as duas cabeças de alho, junte mel e coma, à colherada, em jejum…
 
Mas eu vou sugerir-vos outras “formas galénicas”!
 
É possível juntar alho, em abundância, à maioria das refeições, de modo a obter a dose recomendada através da alimentação.
A minha sugestão é que, para além das utilizações consagradas: em temperos e em todos os pratos cozinhados, incluindo a sopa, as pessoas aprendam a preparar “acepipes de alho".
 
Receita:
Corte, fininho, pão de mistura, pão saloio, ou pão integral. Depois corte em pedaços que caibam na tostadeira. Espalhe uma boa quantidade de alho no pão e regue com azeite q.b.. Pode juntar queijo (nas Pizarias usam queijo Mozzarella, mas não é obrigatório) e também pode juntar salsa picada, porque a salsa evita o mau hálito próprio do alho. Faça uma sandes colocando outra fatia de pão sobre esta e coloque na tostadeira o tempo suficiente.
Os que não têm tempo para comprar fresco e preparar o alho e a salsa podem usar os que se compram nos supermercados, na secção de especiarias.
Depois use, a gosto, nas refeições, como “entrada” fazendo as vezes do pão comum, ou como acompanhamento dos pratos, substituindo ou acompanhando as batatas e o arroz.
 
Outras "receitas" para reduzir o colesterol:
Fazer sumo (suco) de beringela e/ou usar as plantas seguintes, que reduzem o colesterol:
alfafa, amêndoas, aveia, cevada, cebola, cenoura crua, brócolos, espinafre, azeite... (mais o alho) . Com um pouco de imaginação podem-se preparar refeições completas só com produtos para o colesterol. Basta juntar algumas (ou todas) as "plantas indicadas, cozendo rapidamente as que podem ser cozidas e juntando as restantes cruas (alfalfa, cenoura, alho, cebola, azeite, amêndoa).
 
Mais propriedades do alho:
• Melhorar o nosso sistema imunológico para um melhor controle de doenças infecciosas.
• Ajuda a reduzir o colesterol no sangue.
• Reduz a pressão arterial elevada e problemas de circulação.
• Ajuda a eliminar o excesso de gordura corporal.
• Melhora e aumenta o metabolismo, reduzindo assim o excesso de peso.
Para tirar pleno partido destas propriedades é que desenvolveu-se uma bebida, que é a dieta básica de alho.
Para perder um quilo por mês sem fazer nenhum esforço alem de baixar 20 pontos no coleterol total basta cortar no sentido do comprimento(sem partir totalmente) um dente de alho roxo com casca, colocar em um copo dagua e a partir de duas horas tomar a metade da água e novamente encher o copo (repetir o ato de 2 em duas horas, principalmente meia hora antes das refeições). Além de baixar peso ajuda baixar o coleterol total e baixa 2 pontos na pressão arterial, além de hidratar é claro.
 
Receita à base de Alho destinada ao tratamento (remoção) de quistos, varizes, contusões, hematomas e hemorroidas.
 
Nota: Neste preparado não se devem usar, antes ou depois, quaisquer utensílios metálicos.
 
Preparação:
Num recipiente não metálico, juntar 14 (catorze) dentes de alho e um decilitro de azeite e colocar em lume brando, até ao alhos evidenciarem estar “cozidos” (mirrados). Os alhos juntam-se inteiros, sem descascar; até para cumprir a recomendação de não usar utensílios metálicos.
Depois de frio, basta aplicar o óleo nas áreas a tratar, uma ou duas vezes ao dia, com leve massagem circular.
A massagem deve fazer-se durante vários minutos. O tratamento pode ser usado mesmo em quistos não superficiais.
Este preparado também é eficiente para tratar sarna.
 
Outra Receita:
1 litro de água, 30 dentes de alho, 3 limões picados.
Bater no liquidificador tudo misturado e colocar numa panela de esmalte (ou em utensílio não metálico).
Levar ao fogo mas não deixar ferver, guardar numa garrafa no frigorifico e tomar um cálice em jejum.
Todavia, o alho, quando usado intensamente, é:
"Contra indicado para pessoas com problemas estomacais e de úlceras, inconveniente para recém-nascidos e mães em amamentação e em pessoas com dermatites. Em doses muito elevadas, pode provocar dor de cabeça, de estômago, dos rins e até tonturas".
 
Fonte:
 

AZEDINHA Oxalis acettosella - Oxalidáceas

                                       

Erva em forma de trevo. Os pecíolos longos possuem na base duas estipulas ovais. As flores possuem cor em tom variado e os frutos contidos em cápsulas, possuem muitas sementes.

ABSCESSOS FRIOS: - Cataplasma - misturar algumas folhas frescas cozidas, a uma colher de azeite puríssimo, aplicar com um pedaço de gaze.

DIURÉTICO: - Decocção - Ferver por 5 minutos 50 gr de Azedinha fresca em 1 litro de água, tomar em cálices durante o dia.

FEBRE: Ferver 60 gr de raízes e folhas de Azedinha em um litro de água, adoçar levemente e tomar em cálices durante o dia.

INTESTINO: - Decocção - Ferver em uma panelinha com 25 gr de azeite, 50 gr de folhas frescas de Azedinha, 15 gr de folhas frescas de Cerefólio, 15 gr de folhas secas de Beterraba, espere cozinhar e passe o líquido através de uma peneira, apertando bem para extrair todo o líquido das folhas. Beber uma colher de hora em hora.

 


BABOSA - Aloe - Liliáceas - África Meridional
 
                               
                                         
 
As folhas esbranquiçadas na base e de cor verde intensa em direção a extremidade, possuem bordos dentados e acham-se estritamente ligados ao caule curto e carnoso. As flores pendulares são de cor vermelha intensa e reunidas em cacho.

A babosa, também conhecida como aloe, é rica em nutrientes, como lignina, saponinas, minerais, cálcio, potássio, magnésio, zinco, sódio, cromo, cobre, cloro, ferro, manganês, betacaroteno (pró-vitamina A), vitaminas B6 (piridoxina), B1 (tiamina), B2 (riboflavina), B3, E (alfa tocoferol), C (ácido ascórbico), ácido fólico e colina.

Essa riqueza de nutrientes é que confere à babosa um enorme poder de cura, sobretudo em doenças imunológicas, como câncer. Além disso, ela cura e previne quase todas as doenças, pois renova todo o sistema imunológico. 

Também é indicada para diabéticos, uma vez que equilibra a glicose e pode até curar tal doença.
A babosa também é indicada para os doentes de SIDA, pois fortalece o organismo.

RECEITA DE FREI ROMANO ZAGO

Esta receita contra o câncer foi divulgada por frei romano Zago.

Para fazê-la, o melhor tipo de babosa é a Aloe arborescens (veja a foto), que é mais fina e contém pouco gel, tendo em vista que mais de 90% das propriedades medicinais da babosa estão na casca.


Aloe arborescens
Você também pode usar a Aloe barbadensis (veja a foto), mas retire 80% do gel antes do preparo.
 
 
Aloe barbadensis
 
Antes de colher a babosa, observe o seguinte:
  • O pé da babosa deve estar plantado de 3 a 5 anos no mesmo local, pois nessa condição ela estará bem forte, com seus princípios ativos em melhores condições para a cura sobretudo do câncer.
  • Colha a babosa quando não estiver chovendo no mínimo há três dias, pois a terra muito húmida e o contato da babosa com a água fazem com que ela estrague mais rápido. Se isso não for possível, faça a receita e conserve-a na geladeira.
  • Colha a babosa preferencialmente à noite, ou pela manhã bem cedo, antes de o sol nascer, pois ela não deve entrar em contato direto com a luz do sol nem com luzes artificiais.
  • Ao manipular a babosa, passe apenas um pano húmido para limpá-la e retire os espinhos com o auxílio de uma faca. Não acenda a luz do local onde for prepará-la. Acenda a luz de um cômodo próximo ou use vela.
  • No período em que a babosa estiver florescendo, não a utilize, pois ela estará com seus princípios ativos alterados, uma vez que precisa alimentar as flores.
Como fazer
  • 400 g de babosa
  • 500 g de mel de abelha puro
  • Uma dose de bebida destilada (conhaque, aguardente, uísque)
Coloque todos os ingredientes no liquidificador e processe bem por cinco minutos. Não precisa coar. Coloque em uma garrafa escura e guarde na geladeira. 

Dosagem
  • Antes de tomar, agite bem a garrafa.
  • Tome duas colheres de sopa em jejum, assim que acordar pela manhã; duas colheres de sopa 10 minutos antes do almoço e duas colheres de sopa antes do jantar ou antes de dormir.

OBSERVAÇÕES
  • Pode aparecer abscessos ou espinhas no corpo, pois a babosa purifica o sangue.
  • É normal ocorrer uma pequena disenteria, pois a babosa regula as funções intestinais. Isso não faz mal. Nesse caso, basta comer banana-prata.
  • Quem sofre de câncer pode repetir esta receita quantas vezes achar necessário ou até que a doença desapareça.
  • Quem não sofre de câncer deve dar uma pausa de trinta dias entre uma receita e outra.
  • Se o mel for puro, não fará mal aos diabéticos. Mas, se tiver receio, retire-o da receita. Tome pura e em seguida beba suco de fruta para retirar o gosto amargo da babosa.
  • A bebida destilada é importante para a conservação da receita, mas pode ser retirada ou substituída por álcool de cereais.
http://curapelanatureza.blogspot.pt/2008/03/receita-de-babosa-contra-o-cncer.html


 BARDANA Arctium lappa - Compostas

Raiz robusta, haste ramosa, folhas largas e ásperas coniformes, com a parte superior verde e a inferior branca esverdeada. As folhas vivas e brilhantes possuem cor purpurina.

ARTRITE: Cataplasma - contra dores agudas, esmagar folhas secas e aplicar com gaze nas regiões afetadas.

CABELOS (QUEDA): Decocção - 10 gr. de raiz de bardana, cortadas, cozidas em pouca água. Quando a raiz estiver amolecida, deve ser esmagada para ser reduzida a uma papinha. Depois friccionar o couro cabeludo uma vez por dia.

CROSTA LÁCTEA, HEMORRÓIDAS: Cataplasma - cozinhar um punhado de folhas frescas lavadas e enxutas, com um pouco de leite, quando o leite evaporar, colocar as folhas em uma gaze e aplicar na região afetada.

Depurativo: Infusão - 60 gr. de raiz de bardana, 25 gr. de alcaçuz, 50 gr. de dente-de-leão, 40 gr. de gramínea, 20 gr. de raiz de escarola, conservar em um recipiente estas ervas. Uma colher desta mistura serve para prepara uma infusão com uma xícara de água quente. Beber em jejum sem adoçar.

DIURÉTICO: Infusão - 30 gr. de raiz de bardana, em 3 xícaras de água, fervente, deixar em infusão por meia hora, coar e beber duas vezes ao dia.

FURUNCULOSE: Cataplasma - Ver cura. Depurativa. Cura externa - ferver, uma colherada de raiz de bardana triturada em uma xícara de água. Quando evaporar a água, estender o cataplasma sobre a região afetada.

SARAMPO: Tisana - 25 gr. de bardana em um quarto de litro de água. Adoçar pouco e administrar a bebida em colheres a cada 5 minutos.

ÚLCERA: Cataplasma - esmagar a folha fresca de bardana lavada e enxuta, aplicar como um cataplasma.

BATATA Solanum tuberosum - Solanáceas - Chile e Peru

 

 

Planta herbácea com folhas opostas pecioladas e nervadas, flores brancas e terminais e frutos contidos em pequenas bagas. A reserva nutritiva desta planta está nos tubérculos. Os tubérculos são utilizados para extrair a fécula, a glicose, o álcool etílico. A batata pode ser inserida na dieta dos que não pode ingerir proteínas e gorduras.

LEUCORREIA: Decocção para irrigações - 30 gr. de folhas frescas de batata, ferver um litro de água, filtrar, e utilizar morno.

QUEIMADURAS ERITEMAS SOLARES: Compressa - ( nº1) ralar a batata crua e fazer compressas sobre a queimadura, duas a três vezes ao dia. Compressa ( nº2) colocar em uma panelinha, uma colherada de fécula de batata, adicionar água aos poucos, obtendo uma polenta mole. Aquecer em fogo moderado até começar a ferver. Colocar a papinha sobre um tecido dobrado várias vezes. Aplicar as compressas sobre as queimaduras, quando estiver fria.

TOSSE COMPRIDA: Decocção - colocar 20 gr. de folhas de batata 40 gr. de folhas sálvia e um pouquinho de mel em um litro de água. Deixar ferver por um minuto e filtrar, após um quarto de hora, beber uma xícara a cada três horas.

OLHOS: Aplicar sobre os olhos uma fatia de batata fresca ou uma colher de polpa de batata ralada. Deixar pelo menos meia hora, renovando a compressa a cada dez minutos.

BAUNILHA Vanilha planifolia - México e Índia




Trata-se de uma orquídea que possui grossas raízes aéreas com as quais se fixa aos troncos das árvores. A baunilha assume a forma e a proporção de uma liana. As folhas ovais e lanceoladas por estrias verticais de um verde mais escuro. As flores de cor verde amarelado dão vida aos frutos com forma de uma vagem alongada, de aroma muito agradável.
 
Partes utilizadas : favas.
 
Origem : México e América Central.
 
Plantio : Multiplicação: reproduz-se por estacas (mudas); Cultivo: de clima tropical, a baunilha tolera climas quentes e frios, mas prefere o clima ameno. Planta-se em solos secos, arejados e ricos em matéria orgânica. Pode ser plantada o ano todo mas prefere o início da primavera. É trepadeira e precisa ser plantada em parreiras. Colheita: colhem-se os frutos quando estiverem prestes a amadurecer.
 
Habitat:  Ocorre também no Brasil. O maior Estado produtor é a Bahia.
 
História: Os espanhóis levaram a baunilha para a Europa, dos astecas, que já a utilizavam como afrodisíaco. Famosa na culinária mundial, não se sabe se por ser digestiva, calmante ou apenas pelo seu maravilhoso sabor e aroma. Faz parte da farmacopeia homeopática.
 
Princípios Ativos: Ácido acético, ácido vanilil etílico, açúcares, álcool etílico, ceras, cinamato, eugenol, fermentos, furfurol, gorduras, mucilagem, resinas  e  taninos.
 
Propriedades medicinais: afrodisíaca, antiespasmódica, anti-séptico, aromatizante, ligeramente colerético, digestivo, emenagoga, estimulante, tônico geral. Popularmente usada como afrodisíaco e emenagogo (provoca a menstruação).
 
Indicações: Afecções uterinas e nervosas, corretor de sabor, diarréias, disquinesias hepatobiliares, dispepsias hiposecretoras, espasmos, esterilidade, estimulante, falta de energia, febres adinâmicas, flatulência, impotência, melancolia histérica, reumatismo crônico.
 
Em homeopatia: afecções nervosas e uterinas, convulsões, metrite, hipocondria, sozinha ou em mistura com outras ervas.
Uso pediátrico: As mesmas indicações possíveis.
 
Uso na gestação e na amamentação: Não há informações da sua farmacocinética ou sobre seu Uso nestas condições. Deve-se evitar seu Uso acima das doses alimentares.
 
Parte utilizada: frutos secos.
 
Contra-indicações/cuidados: lactantes, crianças menores de 6 anos, pacientes com alergias respiratórias, gastrite, úlceras gastroduodenais, síndrome de intestino irritado, colite ulcerosa, enfermidade de Crohn, hepatopatías, epilepsia, Parkinson e outras enfermidades neurológicas, hipersensibilidade ao óleo essencial de vanilla, ao óleo de canela e ao óleo do bálsamo de Perú (frequentemente se dão reações cruzadas).
 
Efeitos colaterais:O óleo essencial puro pode ser neurotóxico e produzir dermatite de contato. O uso em doses excessivas pode causar náuseas.
 
Modo de usar: Tintura de baunilha: macerar 15 g de baunilha em vagens cortadas em pedaços, em meio litro de álcool a 90º. Deixar 15 dias, filtrar a tintura. Conservá-la numa garrafa bem fechada, empregando-a para perfumar chocolate, tortas, bolos, pastéis doces, panquecas, pudins, sorvetes, biscoitos, cremes, molhos para sobremesas. Dose: 0,3 a 2 g./dia.
 
Posologia: Adultos: A baunilha é encontrada como produto gastronómico, em favas. Não se recomenda o uso de essências pois estas costumam ser sintéticas. A fava, muito aromática pode ser partida e utilizada em decocto. Não foram encontradas referências de dosagem, mas em uso culinário 1/10 da fava aromatiza uma xícara de líquido.
 
Farmacologia: Muito pouco se estudou sobre a baunilha. Sabe-se que seu óleo essencial exerce leve ação calmante.
 

PERFUMAR TORTAS E BOLOS: 15 gr. de baunilha em vagens, cortá-las em pedaços e macerá-las por 15 dias em meio litro de álcool 90º. Filtrar e conservá-las em uma garrafa bem tampada.

BELDROEGA Portulaca oleracea - Portulacaceae - Brasil



 
Cresce em terrenos áridos e secos, possui rizoma rastejante, ramos sumosos e fortes, folhas avermelhadas estreitas cuneiformes carnosos, flores corolas de 5 a 6 pétalas vivamente coloridas, vermelhas, amarelas, brancas, alaranjadas, violáceas, solferino.
 
Nutritivamente, esta planta é muito rica em potássio e omega-3, hoje em dia tão comentado, importante no fortalecimento do sistema imune e circulatório. Isso além de outros nutrientes e moléculas próprias que atuam de modo bastante sinérgico com nosso organismo.
 
Medicinalmente, pode-se dizer, em poucas palavras: antibacteriana, anti-inflamatória, vermífuga, diurética, emoliente, entre outras características. Traduzindo: combate infeções bacterianas, inflamações, vermes, e ajuda na digestão e no funcionamento dos rins. Basta incluir na dieta para já se aproveitar pelo menos em parte estes efeitos.
 
Outra ideia simples é o uso das folhas em infusão, seja como tônico e depurativo do sangue (uso interno) ou como cicatrizante (uso externo). Mas tudo isso é ainda só uma parte do poder desta planta.
 
Referência:
“Plantas Medicinais no Brasil – Nativas e Exóticas”, Harri Lorenzi e F. J. Abreu Matos. 2ª Edição, Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2008. 

DIURÉTICO: Infusão - colocar em infusão por um quarto de hora, uma pitada de folha de beldroega . Filtrar, adoçar e beber em 2 vezes.

Sopa de Beldroegas
Salada de Beldroegas
 

BERGAMOTA Citrus urantium bergamia - Rutáceas

 

É uma variedade de laranja, com a diferença que seus frutos não são comestíveis pois contém um suco ácido e absolutamente desagradável ao paladar. A casca dos frutos contém uma essência fortemente perfumada.

EXCITAÇÃO NERVOSA; EPILEPSIA: Algumas gotas de essência sobre um torrão de açúcar.

FERIDAS (CICATRIZANTE): Aplicar sobre a ferida desinfetada algumas gotas de essência de bergamota, sobre uma gaze limpa.

FRIEIRAS: 100 gr. de óleo de rícino, refinado e sem cheiro, 5 gr. de essência de bergamota, 5 gr. de hortelã, 2 gr. de cânfora, com esse óleo friccionar mãos e pés três vezes ao dia.

PARASITAS DO HOMEM: Fricções feitas com essência de bergamota sobre a região afetada.

ÚTERO: Irrigações - Com algumas gotas de essência de bergamota em água morna, obtém-se uma lavagem uterina.

BOLDO Peumus boldus - Monimiáceas - Chile

 


Trata-se de um belo arbusto que pode atingir de 6 a 8 metros possui folhas fortemente aromáticas, oval elípticas, cobertas por pelos verrugosos, que as tornam ásperas e desagradável ao tato.

CÁLCULOS BILIARES: Decocção - 15 gr. de folhas de boldo em um litro de água ferver por dois minutos e adoçar, consumir 2 xícaras ao dia. Vinho Medicinal - Macerar por três dias, 30 gr. de folhas de boldo em um litro de marsala, filtrar e colocá-los em uma garrafa, tomar um pequeno cálice ao fim de cada refeição.

COLECISTITE: - Ver cálculos biliares.

BORRAGEM Borago officinalis- Borragináceas

 


É cultivada em hortas, pois suas folhas são empregadas em saladas. A planta de 30 a 40 cm de altura é completamente coberta por uma pelugem dura, esbranquiçada, as folhas são radiais e ásperas. As flores grandes, estrelares, azuis e vermelhas, reúnem-se em cachos na extremidade da haste.

DEPURATIVO: - Infusão - Colocar em infusão um litro de água fervente, 20 gr de cada uma das seguintes ervas: Borragem, Agrião, Dente-de-Leão, Fumária, Chicória Silvestre, Cerefólio, coar e adoçar. Tomar de 3 a 4 cálices ao dia, começando pela manhã em jejum.

VINHO DEPURATIVO DIURÉTICO: - Colocar um punhado de sumidades floridas frescas de Borragem em 1 litro de vinho de boa qualidade. Macerar por uma semana, coar e tomar pequenos goles antes das refeições.

GOTA: - Cataplasma - Cozinhar um punhado de folhas secas de Borragem em bem pouca água, quando evaporar toda a água, estender folhas sobre uma gaze, espreme-la para fazer sair todo o líquido, aplicar o cataplasma quente sobre a parte afetada.

REUMATISMO: - Decocção - Em 1 litro de água ferver por meia hora 10 gr de folhas secas de Borragem, filtrar e adoçar com mel, beber de 3 a 4 xícaras ao dia.

TOSSE: - Decocção - 40 gr de folhas em 1 litro de água. Ferver por ¼ de hora, coar, adoçar com mel, e beber de 2 a 3 vezes ao dia.

Infusão - 15 gr de folhas e flores de Borragem em 1 litro de água. Macerar por ¾ de hora, filtrar, adoçar com mel e beber 1 xícara a cada 3 horas.

BROMO Bromus Stamineus - Gramíneas - Itália

 

 
Cresce às margens de estradas, nos campos e nos locais húmidos, não atinge nunca a altura de 60 cm, e desenvolve-se em muitas espigas, contém de 4 a 6 flores.

CATARRO BRONQUIAL - TOSSE SECA E OBSTINADA: - Infusão - 60 gr de Bromo em 1 litro de água fervente, consumir em xícaras no decorrer do dia

INTESTINO: - Ver catarro bronquial.

BUXO Buxus sempervirens- Apeninos e Sardenha

 


 
Planta com cerca de 4 metros de altura, a cor brilhante das folhas ovais e bem finas. Em estado espontâneo cresce em terrenos áridos e rochosos.

FEBRES INTERMITENTES: - Decocção - 25 gr de folhas de Bruxo, ferver até reduzir a quantidade de 1/3 de litro de água. Adoçar com muito açúcar e beber 2 vezes ao dia.

REUMATISMO: - Decocção - Ferver por ¼ de hora, 60 gr de casca de Bruxo em 1 litro de água. Adoçar com bastante açúcar e tomar durante o dia.

CACAU Theobroma cacao - Esterculiáceas - México

 



Árvore que atinge alturas variadas entre 4 a 10 metros, o cacaueiro possui folhas ovais e frutos amarelos, contendo algumas sementes. O cacaueiro produz frutos de 3 a 4 anos após o plantio.

EXCITAÇÃO NERVOSA: A prescrição deste fármaco é muito delicada, que somente um médico pode decidir sobre a mesma.

CAJUEIRO Anacardium occidentale - Anacardiáceas - América do Sul

 


Possui folhas alternas, flores em espiga e frutos com forma de coração.

CANSAÇO DOS PÉS E FRIEIRAS: - Decocção - ferver por ½ hora, um pedaço de casca de Cajueiro, com cerca de 10 gr em 1 litro de água colocar o líquido em uma bacia e adicionar água quente.

CALÊNDULA CAMPESTRE Calendula arvensis - Compostas




Planta comum nos terrenos áridos e incultos, com flores amarelas, assemelham-se à margaridas. A planta exala um odor muito acre.

CALOS E VERRUGAS: - Cataplasma - Aquecer rapidamente um punhado de folhas frescas lavadas, mergulhadas em água quente. Deixar escorrer e estender sobre uma gaze, amassando-as para sair o suco. Aplicar o Cataplasma sobre a região afetada.

FERIDAS: - Cataplasma - Lavar cuidadosamente algumas folhas, secá-las, estender sobre uma gaze, esmagá-las e aplica-las sobre a ferida.

CALENDULA OFFICINALIS Compostas

 


É uma erva perene que possui flores cor amarelo-laranja, o fuste tem cerca de 30 cm de altura, é grosso e áspero e possui folhas em rosetas. As pétalas centrais das flores são tubulosas e as periféricas são alinguetadas.

GRIPE: - Infusão - 100 gr de água quente, 5 gr de folhas ou flores ou ramos de Calêndula, coar, adoçar e beber antes de deitar.

INTESTINOS (Dores Viscerais) - Decocção Cozinhar 2 gr de folhas e flores em ¼ de litro de água filtrar, adoçar e beber em xícaras durante o dia.

TINTURA: Macerar por 8 dias, 15 gr de flores frescas de Calêndula em 50 gr de álcool a 70º. Filtrar o líquido e conserva-lo em uma garrafa com tampa em conta-gotas. A dose é de 10 gotas em pouca água.

CAMOMILA COMUM Matricaria chamomilla - Compostas - Europeia

 

 
Trata-se de uma planta herbácea, anual com folhas filiformes e flores brancas, semelhantes às Margaridinhas.

EXCITAÇÃO NERVOSA - INSÔNIA: - Elixir - Dissolver 800 gr de açúcar em 700 gr de água, fazendo ferver, mas nunca deixando entrar em ebulição. Em 200 gr de álcool a 95º macerar por 4 a 5 dias, agitando o recipiente a cada dia, os seguintes ingredientes: 100 gr de flores de Camomila, 5 gr de casca de Laranja Amarga, 2 gr de Canela. Filtrar o álcool, apertando bem as ervas que estiverem em maceração, e adicionar o líquido ao xarope, agitar bem o recipiente para misturar tudo e deixar o Elixir repousar alguns dias antes de usá-lo.

FEBRE INTERMITENTE - INSÔNIA - NEVRALGIA: Infusão - Em uma xícara de água fervente colocar à infusão uma pitada de flores de Camomila e um pedaço de casca de laranja (somente a parte amarela). Após 5 minutos, filtrar o líquido e bebe-lo adoçando com mel.

ESTÔMAGO (DIGESTÃO): - Infusão - Adicionar uma colher de chá de Fernete ou algumas gotas de Camomila.

TINTURA: - 20 gr de Camomila, 20 gr de Íris, 20 gr de Galanga, 20 gr de Genciana, 10 gr de Ácaro, 25 gr de Canela, 25 gr de Losna, 30 gr de Gengibre, 1 litro de álcool a 90º. Deixar em maceração 30 dias. Filtrar e conserva-lo em uma garrafa, tomar 15 gotas em pouca água.

VINHO DE CAMOMILA: Em 1 litro de bom vinho branco, macerar 100 gr de flores secas de Camomila. Após 5 dias filtrar e consumir o líquido em colheres.

FÍGADO (CÓLICAS HEPÁTICAS) - Infusão Ver febres intermitentes. Uma xícara de infusão de Camomila acalma as dores causadas pelas cólicas.

INTESTINO (INFLAMAÇÃO): - Cataplasma Usar um cataplasma de Farinha de Linho salpicado de flores de Camomila.

INFUSÃO PARA CLISTER: Em 1 litro de água fervente colocar uma colher de chá de flores de Camomila dessecadas. Quando o líquido estiver morno, filtrar e empregá-lo para o Clister.

OLHOS (CANSAÇO E IRRITAÇÃO) - Infusão - Mergulhar dois chumaços de Algodão Hidrófilo em uma infusão de Camomila morna.

REUMATISMO: - Fricções - Friccionar a parte atingida com o seguinte: 50 gr de flores secas de Camomila, 200 gr de Azeite, 20 gr de Cânfora, 20 gr de Álcool a 60º. Colocar a Camomila ao Azeite e aquecer em banho-maria por pelo menos 2 horas, dissolver a cânfora no álcool, quando o Azeite estiver frio [usá-lo através de um guardanapo que se deve apertar bem para fazer sair todo o suco da Camomila. Misturar o óleo ao álcool canforado e colocar o líquido em uma garrafa. Friccionar as regiões atingidas.

CANA COMUM Arundo donax - Gramíneas




O Fuste reto e robusto é empregado para fazer estacas de sustento de vinhedos.

DEPURATIVO - DIURÉTICO: Infusão - Em 1 litro de água fervente, colocar 40 gr de raiz de Cana Comum, cortada em fatias, filtrar e adoçar e beber a infusão na dose de 4 xícaras ao dia.

GRIPE: Infusão - Ver depurativo, a bebida deve ser consumida quente e se possível adoçada com mel.

CANELA Cinnamomum zeylanicum - Lauráceas - Ilha do Ceilão



 
As folhas duras, coriáceas, ovais de bonita cor verde, brilhante, sulcada por nervuras avermelhadas. As folhas são pequenas e de cor verde clara.

ANEMIA: - Elixir - Em 1 litro de Marsala da melhor qualidade colocar em maceração por 5 dias, 10 gr de Canela, 30 gr de Quina e 50 gr de Centáurea. Filtrar o líquido e consumi-lo em cálices pequenos antes de cada refeição.

DEBILIDADE: Elixir - Em 1 litro de Vinho Marsala, macerar por 24 horas, 25 gr de casca de Canela e 10 gr de Hortelã fresca, filtrar o líquido e colocá-lo em uma garrafa e consumi-lo em cálices cada vez que se sentir fraco ou cansado.

ESTÔMAGO (ATONIA GÁSTRICA): - Tintura - Macerar por 24 horas, 50 gr de casca de Canela, esmiuçada em ¼ de litro de álcool a 60º. Filtre o líquido e coloque-o em uma garrafa. Administrá-lo em colheres antes das refeições.

VINHO DIGESTIVO: Em 1 litro de vinho branco de boa qualidade, macerar por uma semana os seguintes ingredientes: 10 gr de casca de Canela, 30 gr de casca de Quina, 20 gr de raiz de Genciana, 10 gr de semente de Anis, 50 gr de açúcar, 1 envelope pequeno de Baunilha, os ingredientes devem ser esmiuçados, antes de serem colocados no vinho. Filtrar o líquido vertê-lo em uma garrafa e conservá-lo em local fresco. A dose é um cálice pequeno.

GRIPE: - Infusão - Em uma xícara de água fervente colocar, 5 gr de casca de Canela, 5 gr de Eucalipto, 10 gr de Alcaçuz, deixar em infusão por 10 minutos, filtrar o líquido e bebe-lo bem açucarado.

PONCHE DE CHÁ: - Colocar água quente em um recipiente, adicionar a quantidade de chá necessária, um pedacinho de casca de Canela e um cálice pequeno de Aguardente de Cana. Deixar em infusão por 10 minutos.

VINHO BRULE: Ferver por 3 minutos em 200 gr de Vinho Tinto forte 5 gr de Canela e 3 Cravos, coar, adoçar e beber em seguida.

RECONSTITUINTE: - Vinho Medicinal - Em um litro de Vinho Marsala de boa qualidade, macerar por 12 horas, 40 gr de casca de Canela, 30 gr de casca de Quina. Filtrar e colocar em uma garrafa. Tomar um cálice pequeno antes das refeições.

CÂNFORA Laurus camphora - dryobalanops aromatica - Japão e China



 
Planta de grandes dimensões, da madeira triturada dos troncos submetida a manufaturações oportuna, extrai-se o produto conhecido que é a Cânfora.

CONTUSÕES - DORES MUSCULARES - REUMATISMO: - Vinagre Aromático para massagens -

Macerar por 10 dias 400 gr de Vinagre puríssimo de Vinho, 50 gr de álcool a 90º e 50 gr no total das seguintes ervas frescas: Sumidades floridas de Alfazema. Folhas de Laranjeira, folhas de Alecrim, folhas de Hortelã, folhas de Sálvia, esmagá-las antes de colocá-las no líquido, após 10 dias dissolver 4 gr de Cânfora em 10 gr de Ácido Acético, colocando este líquido na garrafa com todos os outros. Filtrar após algumas horas.

AGUARDENTE CANFORADA: - Misturar 300 gr de Aguardente a 60º ou de álcool na mesma graduação e 5 gr de Cânfora triturada. Friccionar os músculos doloridos.

FRIEIRA: - Loção - Em 1 garrafa de boca larga, colocar 200 gr de Óleo de Rícino desodorizado, aquecendo o recipiente em banho-maria. Enquanto a água se aquece (não deve nunca ferver) colocar na garrafa 10 gr de essência de Bergamota e 5 gr de Cânfora. Deixar em banho-maria por 1 hora, depois afastar do fogo, quando o líquido estiver frio tapar a garrafa. Com esta loção fazer massagem de 3 a 4 vezes ao dia.

Dióspiro Diospyros kaki - Ebenáceas - China e Japão

 


Árvore que pode atingir alturas notáveis: 8 a 10 metros de altura. Possui folhas grandes, oblongadas, flores auxiliares solitárias de cor branco-amarelo que desabrocham no verão. O fruto é constituído por uma baga grande, com a forma de uma maçã alaranjada, de casca muito fina e lisa, com polpa muito suave, doce e açucarada, madura no fim do outono. Devem ser tratados com cautela, pois a casca muito fina e colada à polpa se rompe com facilidade.

ESTÔMAGO (GASTRALGIA, GASTROENTERITE DAS CRIANÇAS: - Infusão - Colocar uma xícara de água fervente uma pitada de folhas de caqui e duas folhas de lauroceraso. Deixar amornar, adoçar e administrar em seguida).

EXCITAÇÃO NERVOSA: Infusão - colocar em uma xícara de água fervente uma colher de folhas de caqui, um pedacinho de gengibre e uma colher de café de mel, filtrar o líquido e bebe-lo em seguida.

INSÔNIA: Ver excitação nervosa, beber a poção meia hora antes de deitar.

INTESTINO (PRISÃO DE VENTRE) Consumir durante a estação em que estão maduros e sumosos, equivalente a um tratamento eficaz contra prisão de ventre. Xarope - 1 Kg. De açúcar e 250 gr. de um limão e 2 Kg. De caquis maduros, cortados em quatro e liberados das sementes. Deixar cozinhar por 20 minutos após o inicio da ebulição.


Nota: Fruta adequada para energizar o chakra Muladhara, confira as semelhanças com o “umbigo” da fruta:

 

É também um alimento dos deuses ou Teobroma, tal como o cacau: 



CARPA Carpinus betulus - Betuláceas - Itália

 



Árvore de caule alto e reto atinge a altura de 20 ou 30 metros. Possui a casca lisa de cor cinza, as folhas ovais e serrilhadas e as flores monoicas. Os frutos que amadurecem no outono são aquênios.

BOCA, GARGANTA (INFLAMAÇÃO): Decocção - ferver por 20 minutos 30 gr. de folhas em um litro de água, filtrar, deixar amornar e usar o líquido para bochechos e gargarejos.



Mais usos medicinais (Atenção!)
As folhas são hemostáticas. Elas são usadas em compressas externas para parar o sangramento e acelerar a cicatrização de feridas. A água destilada feita a partir das folhas é uma loção eficaz para os olhos . As folhas são colhidas em Agosto e secam-se para uso posterior.







CARVALHO Quercus robur - Fagáceas


 É uma planta de notável altura cerca de 20 metros e de grandes proporções. Possui troncos rugosos, ramos muito frondosos, folhas duras e coriáceas, cuja superfície superior é brilhante e a inferior coberta de pelos. As flores são monoicas e pendulares, de cores amareladas os frutos que contém uma só semente, são aquênios ovais.



BOCA (INFLAMAÇÕES, ESTOMATITES) Decocção - para bochechos - ferver 15 gr. de casca de carvalho por dez minutos em um litro de água, fazer bochechos e gargarejos. Café - em substituição ao café, torrar e moer as bolotas e utilizar o pó para preparar uma bebida que tem o mérito de não prejudicar o coração e o sistema nervoso.

CABELOS ( CASPA ) : Líquido para massagem - Em um litro de álcool, desnaturado colocar três cebolas grandes, cortadas em fatias, e deixa-las macerar por 4 dias. Neste meio tempo, preparar uma decocção com uma colher de pó de casca de carvalho fervida em meio litro de água em fogo moderado. Quando o líquido estiver reduzido retirar o recipiente do fogo e esperar que esteja completamente frio, antes de filtra-lo. Misturar a decocção e o alcoolato de cebola, ensopar um tecido de lã e massagear o couro cabeludo.

ESTÔMAGO (HEMORRAGIA): Decocção - cozinhar 10 gr. de casca de carvalho em 200 gr. de água e beber a decocção, filtrada e adoçada com pouco de açúcar ou mel, na dose de uma colher de café a cada meia hora.

FISSURAS ANAIS E DO SEIO: Decocção para lavagem - ferver 80 gr. de casca de carvalho em um litro de água, filtrara e utilizar o líquido para lavagens frequentes das regiões afetadas.

GENGIVAS: Vinho de carvalho - Em um litro de vinho tinto de boa qualidade colocar 20 gr. de folhas de carvalho e 10 gr. de ácido clorídrico medicinal. Deixar em maceração por uma semana, filtrar o líquido e tomar um pequeno cálice em cada refeição.

GLANDULA (INFLAMAÇÃO E AUMENTO): Decocção para compressas - Ver boca, o líquido deve ser empregado frio.

HEMORRAGIA NASAL: Pós de casca - Ter sempre a mão um pequeno vidro contendo a casca de carvalho, reduzida a pó em um pilão. Uma pitada de pó de carvalho aspirado pelas narinas tem o poder de estancar a hemorragia.

HEMORRÓIDAS: Decocção para semicúpios - preparar uma decocção muito reduzida, ferver por uma hora, em fogo lento, um litro de água, 25 gr. de casca de carvalho, filtrar e quando estiver morno, colocá-lo em uma bacia com um litro de água quente, mas não fervente.

INTESTINO ( DIARRÉIA ) : Decocção - ferver por 10 minutos 10 gr. de casca de carvalho em 200 gr. de água. Filtrar e beber a decocção na dose de uma colher de café por hora. Vinho de carvalho - colocar 20 gr. de casca de carvalho, cortada em pedaços bem miúdos, em um litro de vinho tinto de boa qualidade e 10 gr. de ácido clorídrico medicinal. Deixar tudo em maceração por seis dias, depois filtrar e beber de 3 a 5 colheres de café ao dia.

LEUCORRÉIA: Decocção para irrigações - ferver por 10 minutos, um litro de água com 100 gr. de casca de carvalho e utilizar o líquido filtrado para lavagens e irrigações. Vinho de carvalho - Ver intestino. Beber 3 pequenos cálices de vinho de carvalho ao dia.

MENSTRUAÇÕES ESCASSAS OU AUSENTES: Decocção para lavagens ou irrigações - Ver leucorréia. Quando um organismo esta fraco e exaurido e as menstruações são escassas ou ausentes, pode-se recorrer a decocção de carvalho que é um emenagogo muito eficaz.

RINS (INFLAMAÇÕES): Decocção - Cortar pequenos pedaços 20 gr. de casca de carvalho, 20 gr. de cabelos de milho. Colocar tudo em um litro de água, e ferver por 10 minutos, filtrar e adoçar e beber três xícaras ao dia.

SUOR (AXILAS E PÉS) Infusão para lavagem - Contra a excessiva sudorese das axilas e dos pés, fazer lavagem com uma infusão obtida colocando-se 15 gr. de casca de carvalho em um litro de água fervente.

ÚTERO (INFLAMAÇÕES): Decocção para irrigações - ferver por uma hora, em fogo moderado, 2 litros de água e 100 gr. de folhas de carvalho ( ou 70 gr. de casca ), filtrar o líquido, quando estiver morno emprega-lo para irrigação.


CASCA-DE-ANTA Drymis chilensis, drymis winter - Magnoliáces - Chile


  

Fonte - Plantas medicinais usadas pelos Índios Mapuche:


Planta com folhas coriáceas e flores brancas em espiga.

                     

DIURÉTICO: - Decocção - Ferver por 1 minuto 5 gr de casca em ½ litro de água, filtrar e bebe-lo em xícaras pequenas durante o dia.

Infusão - em ½ litro de água fervente colocar em infusão por 5 minutos, 10 gr de folhas de Casca de Anta, filtrar o liquido e consumi-lo em xícaras pequenas durante o dia.

ESTÔMAGO: (DIGESTÃO DIFÍCIL) - Decocção - Ver diurético. Uma xícara após as refeições.

REUMATÍSMO - CANSAÇO: - Banhos - Preparar uma decocção com ½ litro de água com 10 gr de Casca de Anta, filtrar e adicionar à água do banho.

ULCERAÇÕES: - Lavagens - Preparar uma infusão com 5 gr de casca e 500 gr de água. Enquanto estiver morno, filtrá-lo e utilizar para fazer lavagens.
 
 
CÁSCARA Rhamnus purshiana - Ramnáceas - Costa do Pacífico


 

Trata-se de um arbusto com flores minúsculas e brancas. A casca da Cáscara-Sagrada é de cor cinca claro, sumosa, inodora, e de sabor amarguíssimo.

                                     

FÍGADO -ESTÔMAGO - INTESTINO: - Infusão - 30 gr de casca em 200 gr de água fervente. Após 20 minutos, filtrar e colocar o líquido em uma garrafa. Três a quatro colheres a cada noite, por 7 dias.

TINTURA: Macerar 30 gr de casca dessecada em 200 gr de álcool a 60º por 4 dias, filtrar e conservar o líquido em uma garrafa com tampa em conta-gotas. Usar 15 gotas como tônico do estômago e 25 gotas como laxativo.

CASTANHEIRO Castanea sativa - Fagáceas - Alpes e Alpinos


Castanheiro e sua distribuição em Portugal



                                                                Fruto e flor

Com folhas pecioladas grandes. As flores, masculinas e femininas, são brancas e reunidas em cachinhos, os frutos que amadurecem no inverno, são muito conhecidos, medem aproximadamente 1200 metros (altitude).

CATARRO BRONQUIAL - TOSSE COMPULSIVA E PERSISTENTE: - Infusão - Um punhado de folhas secas em 1 litro de água fervente. Filtrar o líquido através de um coador, adoçar e beber. A dose serve para 3 vezes.

CASTANHEIRO DA ÍNDIA - esculus hippocastanum - Hippocastináceas - Ásia Menor


 Árvore ornamental, cobre-se de flores brancas e algumas vezes vermelhas, que desabrocham em espigas, retas e muito bonitas. O fruto redondo e brilhante assemelha-se um pouco à Castanha comestível. De sua polpa extraem-se muitas substâncias.

ESTÔMAGO (DIGESTÃO DIFÍCIL) - Tintura Macerar por 5 dias, 5 gr de folhas de Castanheiro da Índia dessecadas em 50 gr de álcool a 70º. Filtrar o líquido e conservá-lo em vidro com conta-gotas. Dose: 10 gotas.

FEBRE: - Decocção - Cozinhar por 10 minutos, em 1 litro de água 30 gr de raiz dessecadas de Castanheiro da Índia, filtrar o líquido e tomar durante o dia.

Vinho Medicinal - Colocar em 1 litro de Vinho Branco, 50 gr de casca de Castanha da Índia. Ferver por ¼ de hora e filtrar. Tomar 2 cálices pequenos por dia.

FRIEIRA: - Creme - Cozinhar 20 Castanhas da Índia em pouca água. Esmagá-las, reduzir a polpa a purê e conservá-lo em um recipiente por alguns dias. Passar o creme antes de deitar na região atingida.

HEMORRÓIDAS: - Pomada - macerar por 5 dias 3 gr de folhas de Castanheiro da Índia em 30 gr de álcool a 70º. Filtrar, pesar e para cada 20 gr de líquido adicionar 60 gr de Lanolina. Misturar bem todos os ingredientes e empregar a pomada para aliviar as dores.

VEIAS VARICOSAS: - Infusão - Colocar em infusã0 por 24 horas, 70 gr de folhas de Castanheiro da Índia em 1 litro de Vinho Branco de boa qualidade. Filtrar o líquido, adoça-lo e tomar 1 cálice ao dia.

VETERINÁRIA: - Cavalos, Cólicas. Para curar as cólicas dos cavalos, administrar com a dosagem habitual, alguns punhados de polpa de Castanhas da Índia, secas e reduzidas a pó.

Coelhos - Um bom alimento para os coelhos é constituído pelas Castanhas da Índia, cozidas e descascadas adicionadas à refeição.

CEBOLA Allium sepa - Liliáceas - Pérsia



A cebola possui bolbos grandes, que dão vida a tufos de folhas carnosas e cilíndricas. As flores pequenas e em grande número, desabrocham no verão.

CALOS: - Infusão - Ferver 1 cálice de vinagre com uma Cebola crua cortada em fatias. Deixar amornar, colocar a Infusão em um coador, espremendo a polpa da Cebola a fim de que saia todo o suco. Empregar o líquido para compressas sobre os calos.

DIURÉTICO: - Infusão de Vinho - Meio litro de Vinho Branco de boa qualidade, 250 gr de Cebolas frescas cortadas em fatias, 80 gr de mel. Após 24 horas filtrar o líquido e consumi-lo antes das refeições.

TINTURA: Triturar 100 gr de Cebola fresca, procurando não desperdiçar o suco, colocando-as em uma garrafa juntamente com 100 gr de álcool a 90º. Após cerca de 24 horas, filtrar o líquido e conservá-lo em um vidro com tampa esmerilhada, uma colher de chá antes das refeições.

ESTÔMAGO (DIGESTÃO) - Tintura - Ver diurético.

HEMORROIDAS: - Unguento (1) - Cozinhar uma Cebola em pouco óleo de Linho, deixar esfriar e espremer para que a polpa e o suco misturem-se bem ao óleo. O unguento assim obtido, aplicado sobre as hemorroidas, serve para impedir as inflamações.

Unguento (2) - Triturar uma Cebola crua e misturar um pedaço de manteiga. Aplicar a papa sobre a região afetada.

FRIEIRA: Unguento - Esmagar 1 Cebola fresca, para fazer sair o suco, misturá-la a ½ colher de chá de Lanolina, friccionar com este unguento a região afetada.

HEMORRAGIA NASAL: - Cortar em duas metades 1 Cebola fresca e aspirar o suco com as narinas.

INTESTINO (INFECÇÕES E PRISÃO DE VENTRE) - Tintura - Ver diurético

Decocção - Cortar 1 Cebola em fatias, cozinhá-las em ½ litro de água adoçada com mel, filtrar o líquido e beber uma xícara pela manhã e uma à noite.

PICADAS DE ABELHAS: Para acalmar as dores causadas pelas picadas de abelhas, friccionar a parte afetada com 1 Cebola cortada.

RESFRIADO - TOSSE: - Infusão - Cozinhar 1 Cebola cortada em fatias em 1 xícara de leite fortemente adoçado com mel, e beber quente antes de deitar-se.

Xarope - Cozinhar 1 kg de Cebolas frescas. 300 gr de mel, 750 gr de açúcar em 1 litro de água, fazer em fogo brando por três horas, deixar esfriar o composto antes de filtra-lo, através de uma peneira.

VERMES: - Infusão - Em uma tigela colocar ¼ de litro de água e 1 Cebola grande, cortada em fatias. Deixar em infusão por uma noite inteira, depois passar o líquido através de um coador, esmagando a Cebola para fazer sair todo o líquido. Beber a infusão em jejum.

Infusão de Vinho - ver diurético -

VETERINÁRIA: - Frangos - Administrando aos frangos 2 a 3 vezes por semana, uma Cebola crua, previne as doenças infeciosas.

Veja também: http://curartenaturalment.blogspot.com.es/2013/04/ojo-con-las-cebollas.html

CELIDÔNIA Chelidonium majus - Papaveráceas


Erva de andorinha – Planta da família das Papaveráceas – Nome científico: Chelidonium majus L - Origem: América, Europa, África  e oeste da Ásia  – Também chamada de celidônia, quelidônea, erva-das-verrugas, erva leiteira, erva-dos-calos, figatil e papoula das andorinhas.

O nome desta planta deriva do grego “khélidôn” (gênero científico), que significa “andorinha”, em face do mito de que tais as andorinhas a levavam aos seus filhos para que os mesmo possuíssem ótima visão.

Em tempo: “Foi por volta do séc. I d.C. que Discórides, reparou que as andorinhas usavam esta planta para tocar nos olhos dos filhotes, facultando-lhes a vista. Curiosidade desperta, e foi um passo para que estudos fossem feitos acerca da celidónia”.

O caule atinge a altura de cerca de 70 cm, é cilíndrico e nodoso, ramoso, com folhas penatissetas e flores amarelas.

ARTRITE - GOTA - HIDROPISIA: Infusão - Em ½ litro de água fervente colocar 5 gr de planta dessecadas, filtrar, adoçar e beber a infusão durante ao dia.

CALOS E VERRUGAS: - Uma pitada de pó de Látex e uma faixa de gaze. Após 24 horas a calosidade estará amolecida e facilitará a remoção. Se necessário repetir a operação.

 
Veja também: http://glossarherbalapotheke.blogspot.pt/search/label/Portugu%C3%AAs
                    
 

AVISOS GERAIS: Sempre que utilizar plantas comestíveis ou medicinais, certifique-se de colher a planta correta, e que a planta esteja saudável e tenha crescido em bom solo. Ou seja: evite plantas próximas a esgotos, lixo, sujeira, etc. Evite plantas com sinais de muitos ataques por insetos ou fungos. Não recomendo o uso de produtos agroquímicos sobre qualquer planta, sejam plantações ou populações selvagens, para qualquer finalidade. Para plantas medicinais comerciais, o uso de agrotóxicos é proibido. Leia atentamente as dicas, recomendações, e receitas. No mundo biológico todo detalhe é importante. Se tiver dificuldade para identificar uma espécie, entre em contato comigo ou algum especialista que conheça (eu não sou capaz de reconhecer qualquer coisa, claro, mas posso indicar alguém que talvez possa resolver seu problema).
 
Curadora64 Copyright © All Rights Reserved. You may copy and redistribute this stuff so long as you do not alter it in any way, the content remains complete, and you include this copyright notice link: http://auras-colours-numbers.blogspot.com/2013/05/lx-ervas-e-curas-o-glossario-herbal-1.HTML

 

2 comentários:

dharma dhannyael disse...

oi, Paula gostei muito do artigo muito bom. especial grata dharmadhannya

curadora64 disse...

Obrigada querida Dharma.
beijinhos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

copyscape

Protected by Copyscape

Meridianos MTC

Kundalini

Toroide - Energia Livre

Formas de Pensamento

A Grande Invocação

Meditação pela Paz

Meditação fora do espaço e tempo (a qualquer hora e em qualquer lugar, sem inscrições nem regras)Apelo ao envio de Luz...

Posted by Auras, Cores e Números on Sábado, 11 de Julho de 2015

Aura - o que é?

Controlo da Mente

Vida ET


"Se não existe vida fora da Terra, então o universo é um grande desperdício de espaço."- Carl Sagan
Posted by Auras, Cores e Números on Sábado, 29 de agosto de 2015

Chakras

Deva Premal - playlist